João Pessoa 19/08/2018 19:19Hs

Início » Destaque » Apesar do protesto na PB, maioria dos hospitais atende normalmente

Apesar do protesto na PB, maioria dos hospitais atende normalmente

médicosApesar da chamada do Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB) para a paralisação dos médicos do estado em protesto ao programa ‘Mais Médicos’, do Governo Federal e ao veto do ‘Ato Médico’, o funcionamento da maioria dos grandes hospitais paraibanos seguiu normalmente nesta terça-feira (30), de acordo com informações passadas pelas direções das instituições.

Em João Pessoa, a assessoria da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) falou que a adesão era individual e que os hospitais públicos da capital estão funcionando normalmente. Eles também não possuem dados sobre quantos profissionais teriam deixado de trabalhar hoje.

A Secretaria informou ainda que os médicos que não realizarem atendimentos terão que justificar a falta e remarcar as consultas para no máximo 20 dias. NaHospital da Unimed, o atendimento também segue sem alterações, de acordo com a assessoria da cooperativa. Segundo ela, as decisões são tomadas em assembleia e não de forma individual, como acontece nos hospitais públicos.

Em Campina Grande, a maioria dos atendimentos de saúde aconteceu normalmente também. Os hospitais mantiveram o funcionamento regular dos atendimentos de urgência e emergência. Conforme as diretorias dos estabelecimentos de saúde, apenas no Hospital Municipal Pedro I, Hospital Antônio Targino e na Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) houve a paralisação dos atendimentos ambulatoriais, sendo mantido apenas o funcionamento dos setores de urgência.

Já quanto ao Programa Saúde da Família (PSF), não foi notificada à Secretaria de Saúde de Campina Grande nenhuma interrupção dos atendimentos em quaisquer das unidades. Segundo a direção, no Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande, mesmo casos considerados de baixa complexidade foram atendidos, além de cirurgias eletivas que estão marcadas para o período da tarde.

“Apenas nos casos de menor urgência é que estamos orientando a seguir no próximo dia útil a uma unidade de saúde da família, onde terá melhor atendimento. O funcionamento das urgências segue normal para que não morram pessoas”, afirmou o diretor técnico Flawber Cruz.

Ainda conforme as respectivas diretorias, no Hospital da Clipsi os atendimentos ambulatoriais e pediátricos, no qual a unidade é referência, funcionaram normalmente. No Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (Isea), o atendimento também foi normal em todos os setores.

Em Cajazeiras, o Hospital Regional funcionou normalmente e sem transtornos, segundo os diretores financeiro e administrativo Marcelane de Lira Silva e  Francisco Figueiredo, respectivamente. No Regional de Patos, a diretoria também afirma que os atendimentos seguem ininterruptos.

Em Sousa, a diretora administrativa, Fabiana Ferreira, falou que apenas os procedimentos eletivos foram cancelados. Sete cirurgias para retirada do útero e de hérnias foram remarcadas para a semana que vem. Os pacientes foram comunicados, pela diretoria do hospital, da decisão dos médicos em aderir à paralisação. No entanto, a diretora administrativa afirma que todos os médicos – cirurgiões e uma anestesista – estão no hospital, de sobreaviso, para casos de urgência e emergência.

Não houve relato de protestos ou manifestações por parte dos pacientes em nenhuma das cidades contactadas.

Fonte: G1PB