João Pessoa 19/08/2018 15:28Hs

Início » Últimas » Caso de canibalismo em PE terá 1ª audiência hoje

Caso de canibalismo em PE terá 1ª audiência hoje

A primeira audiência de julgamento das três pessoas acusadas pela morte, com evidências de canibalismo, de três mulheres no Recife (PE) será realizada nesta quinta-feira (25), no Fórum de Olinda. A juíza Maria Segunda Gomes de Lima, da Vara de Tribunal do Júri, estará à frente da sessão.

Jorge Beltrão Negromonte Silveira, de 50 anos, sua mulher, Isabel Cristina Pires Silveira, de 50, e Bruna Cristina Oliveira da Silva, de 25 anos, tida como amante de Jorge, estão presos, preventivamente, desde abril. Os réus confessos foram denunciados pelo Ministério Público.

Na audiência estão previstos os depoimentos de 20 testemunhas, mas o Tribunal de Justiça não informou quantas dessas 20 seriam da defesa e quantas da acusação. Serão quatro os advogados de defesa: Paulo Henrique Melo, Rannieri Aquino, Edmilson Francisco e Luiz Carlos Lopes.

Vítimas

As investigações policiais sobre o caso começaram depois que a família de Giselly Helena da Silva, de 31 anos, uma das três vítimas, denunciou seu desaparecimento. A polícia chegou até os acusados após rastrear o cartão de crédito de Giselly, que foi usado após seu desaparecimento em várias lojas de Garanhuns, no agreste pernambucano. Jorge Silveira, Isabel Cristina e Bruna Cristina moravam em Garanhuns

A polícia encontrou no quintal da casa de Silveira e Isabel os corpos enterrados de duas de suas vítimas: Alexandra Falcão da Silva, de 20 anos, e Giselly. Ambos os corpos apresentavam sinais de esquartejamento. O crime, no entanto, ganhou destaque fora do estado após os acusados terem dito que consumiam porções da carne das vítimas e da pele, como forma “purificação da alma”.

Os três assumiram também a responsabilidade pela morte de Jéssica Camila da Silva Pereira, de 22 anos, no município metropolitano de Olinda. Ela teria sido assassinada e enterrada em 2008. Eles teriam ficado com uma criança, filha da vítima, que, informaram, também chegou a consumir carne humana.

AGENCIA ESTADO