João Pessoa 24/04/2018 03:16Hs

Início » Últimas » Eleição de ‘50’ para elaborar ‘reforma’ recebe apoio de parlamentar da PB

Eleição de ‘50’ para elaborar ‘reforma’ recebe apoio de parlamentar da PB

Conheça como seria o método de elaboração e quem participaria do seleto ‘Grupo dos 50’

download (3)O deputado e presidente do PSDB da Paraíba, Ruy Carneiro, não só concordou, como se mostrou interessado nesta segunda (01) na proposta do senador Cristovam Buarque (PDT) que, contra o plebiscito proposto, defendeu a eleição de um grupo de 50 personalidades com “espírito público”. Eles teriam a missão de elaborar uma proposta de reforma estrutural para o país. Essa, por sua vez, seria enviada para a análise do Congresso.

Na ótica do senador, o grupo seria menos “tendencioso”, já que os reclames da população vão de encontra à credibilidade dos políticos.

“Acho bastante interessante e até mais rápido (que o plebiscito). Chegaria uma fórmula pronta boa, porque seria de elaborada por um grupo de pessoas de bom nível, para que o Congresso aprecie e vote a proposta”, argumentou o deputado paraibano, mesmo admitindo que o Congresso, agindo assim, estaria abrindo mão de uma prerrogativa que é sua, a de formular projetos.

Defesa – Para Cristovam, esse grupo teria mais condições de se dedicar à reforma, uma vez que os políticos, “sem exceção”, mantêm um espírito corporativo que os faz “pensar menos na historia e nas gerações futuras do que na próxima eleição”.

“Por isso é preciso buscar fora os que vão elaborar uma proposta de nova estrutura política para o Brasil”, afirmou.

Cristovam Buarque explicou que os senadores elegeriam personalidades de diferentes classes sociais e religiões, que em dois meses apresentariam a proposta de reforma. Se ratificada, ela então seria submetida a referendo da opinião pública já nas eleições de 2014.

“Como eleger os que vão nos comandar, como eles vão ser fiscalizados, como agirão e como serão punidos quando necessário? Precisamos responder. Não conseguimos fazer uma proposta que satisfaça a população em relação a essas quatro perguntas”, disse.

A ideia do senador vem tomando o gosto popular, porém com uma alteração: o texto precisaria (antes de ir ao Congresso) que passar por um referendo junto à população.

Da Redação com MaisPB