João Pessoa 24/06/2018 07:24Hs

Início » Variedades » Temer se compara a Tiradentes e diz que seu governo ainda será reconhecido

Temer se compara a Tiradentes e diz que seu governo ainda será reconhecido

Presidente fará pronunciamento - Apontará o que considera de positivo - Dirá que feitos não são reconhecidos

Presidente Michel Temer participa da cerimonia de flexibilização da veiculaçao da Voz do Brasil. Brasilia, 04-04-18. Foto: Sérgio Lima/Poder 360

Michel Temer dirá em pronunciamento que seu governo é mais reconhecido no exterior

O presidente Michel Temer gravou nesta semana 1 pronunciamento que irá ao ar nesta 6ª feira (20.abr.20189) às 20h em rede nacional. Fará comparação sua com Tiradentes –homenageado com feriado no sábado (21.abr)– e dirá que seu governo não tem sido reconhecido por seus feitos.

Temer apontará aquilo que tem sido praxe em seus discursos: redução da inflação, da taxa de juros, crescimento do emprego e do PIB brasileiro.

Além disso, seguirá a linha dos últimos discursos seus e de seus integrantes de governo: o Brasil é mais reconhecido internacionalmente que pelos próprios brasileiros.

O presidente se coloca como 1 pré-candidato à Presidência da República, cargo que ocupa desde 2016, após o impeachment de Dilma Rousseff. A alta rejeição ao seu governo e baixa intenção de votos são os impeditivos para que o plano do emedebista se concretize.

O pronunciamento tem 5 minutos e foi gravado na noite de 4ª feira (18.abr) no Palácio da Alvorada.

Temer também deve pedir “união nacional” e tentará se impor como chefe de Estado. Fará que é necessário apoio para “não perder o que foi conquistado”.

O presidente também deve fazer 1 discurso de defesa da Constituição, como tem feito em especial nos últimos meses. Professor de direito constitucional, o presidente se sente à vontade para falar sobre a área.

O discurso deve seguir o roteiro de que o presidente é 1 defensor da Constituição. Tentará afastar a imagem de Temer das investigações da qual é alvo. Além de duas denúncias da qual já foi alvo –e que a Câmara arquivou–, o presidente também é investigado pela Procuradoria Geral da República por supostamente participar de 1 esquema de propina no porto de Santos.

Temer falará que seu governo é defensor das liberdades individuais. “Celebramos a liberdade da imprensa brasileira. A liberdade de agir segundo a própria vontade desde que isso não prejudique a outra pessoa”, dirá o presidente.

Poder360