80% das 46 mil vagas até 2015 do pré-sal serão para técnicos e profissionais de nível médio

cursos esp sant.Mais de 80% das vagas de trabalho que serão criadas para exploração do pré-sal até 2015, num total estimado de 46 mil empregos, serão ocupadas por técnicos e profissionais de nível médio. Os dados são do Mapa do Trabalho Industrial, desenvolvido pelo Serviço Nacional de Aprendizado Industrial (Senai).

No Espírito Santo, o mapa da Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostra que há previsão de que sejam abertos 1.383 postos de trabalho até 2015 na cadeia, sendo que 1.140 para profissionais técnicos e de nível médio, e 243 para nível superior. Os salários variam de R$ 1,43 mil a R$ 5,71 mil para os técnicos que atuam no Estado.

A maior parte das vagas irá para o Rio de Janeiro – 13.254 – e 6.733 em São Paulo, totalizando 21.370 nos três Estados mais impactados pelo pré-sal.

Muitos estudantes já perceberam a importância da formação técnica, como é o caso de Cássio Batista, aluno do curso de Mecânica Industrial do Senai. Ele se formará no próximo mês no ensino médio e já está na metade do curso do Senai.

“Essa é uma oportunidade que não posso perder. É bastante pesado o ritmo, porque vou para o colégio em Vila Capixaba, Cariacica, e à tarde venho para o Senai. Apesar do cansaço, acredito que este é o momento de fazer esse sacrifício”, diz Cássio, que tem 17 anos.

O coordenador técnico do Senai, Marcos Lengrub da Silva, afirma que os interessados podem se beneficiar do Pronatec, programa federal para formação técnica. “Os alunos têm bolsa de estudo, passagem de ônibus para se deslocar e conseguem se formar em cursos como soldador de tubulação, técnico petroquímico e encanador industrial, mecânico industrial e outros”, explica Silva.

“A cadeia do petróleo é muito grande, envolve profissionais de várias especialidades, além de dar oportunidade para empresas de segmentos como alimentação, transporte e logística”, ressalta o presidente da Federação das Indústrias do Estado (Findes), Marcos Guerra.

Para o consultor em petróleo e gás André Machado, esse segmento exige um alto grau de especialização, o que leva a um grande investimento em capacitação de pessoal.

“Além disso, as regiões que recebem os projetos precisam investir em infraestrutura, como mais escolas, hospitais, estradas, enfim, tudo que é necessário para receber mais trabalhadores”, explica o especialista.

33 mil chances dispensam curso superior

Os estudos mostram que 60% das novas vagas que serão abertas o setor de petróleo até 2015 são para funções industriais. Isto ocorre porque a cadeia produtiva do petróleo exige qualificação específica dos trabalhadores, como os soldadores subaquáticos, que mergulham centenas de metros no mar para fazer reparos em equipamentos de extração de petróleo e gás.

Foto: Chico Guedes

Chico Guedes

Para entrar no segmento de petróleo, o estudante de Cariacica passa pelo menos oito horas na escola estadual e no curso de formação técnica

Dos 46 mil postos de trabalho previstos para serem criados até 2015 no país todo, 33,6 mil serão para as áreas técnicas e de nível médio. São funções como o de desenhista técnico da mecânica; encanador e instalador de tubulação; supervisor de montagem metalmecânica; técnico de mecânica veicular; técnico em mineração; técnico em segurança do trabalho; entre outras.

Além dos salários serem atrativos, o número de trabalhadores em função industrial é mais alto no setor de petróleo. Uma única sonda, por exemplo, precisa de 150 a 200 profissionais capacitados para ser operada. Somente para operadores e técnicos de petróleo e gás, que podem trabalhar nessas sondas, em plataformas ou navios, serão abertas 12,5 mil vagas até 2015.

A carteira de encomendas de equipamentos no país é grande e garantirá trabalho para muitos anos. Estão previstas a construção de 20 plataformas de produção; 28 sondas de perfuração de poços; sete navios para contêineres; seis navios graneleiros; 70 embarcações de apoio offshore, entre outros.

Veja onde se qualificar

Novo Milênio

A inscrição para o vestibular vai até hoje no site www.novomilenio.br. A prova ocorre na segunda-feira. Cursos: Engenharia Civil, Engenharia de Petróleo, Engenharia Elétrica – Telecomunicações, Administração, entre outros.

Ifes

Oferece curso técnico de Mecânica, Química, Segurança do Trabalho, Eletrotécnica, Meio Ambiente, Automação Industrial, entre outras. . A instituição também conta com curso superior em Engenharia Mecânica, Elétrica, Controle e Automação. As inscrições para os cursos de graduação do instituto são realizadas por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), cujo cronograma é definido pelo Ministério da Educação (MEC).

Senai

Há curso técnico de Automação Industrial, Mecânica, Eletrotécnica e Segurança do Trabalho, por exemplo. A instituição divulga dois editais de seleção por ano. Há ainda cursos de base para soldador, mecânico de manutenção, plataformista, entre outras. Os editais são publicados duas vezes por ano. Os requisitos para os cursos é ter o nível médio.

UVV

Cursos envolvidos na cadeia de produção de petróleo: Engenheira de Petróleo, Engenharia de Produção, Engenharia Química, Engenharia Civil, Engenharia Ambiental, Geologia, Construção Naval, Petróleo e Gás, Logística e Gestão Portuária. A universidade oferece dois vestibulares por ano, geralmente nos meses de maio/junho e outubro/novembro.

Faesa

Oferece os seguintes cursos: Engenharia Química, Engenharia Ambiental, Engenharia Civil, Engenharia da Computação, Engenharia de Controle e Automação, Engenharia de Produção, Engenharia Elétrica, Engenharia Mecânica e Química. Informações no endereço eletrônico www.faesa.br.

Ufes

Engenharia Mecânica, Engenharia Elétrica, Engenharia de Produção, Química, Oceanografia, Ciências Biológicas, Engenharia de Produção e Geografia, entre outros. Informações: www.ufes.br.

UCL

Engenharia de Petróleo, Engenharia Química, Engenharia Mecânica, Engenharia de Produção, Engenharia de Automação e Controle – Mecatrônica. A faculdade vai realizar, em 14 de dezembro, processo seletivo para preenchimento de vagas remanescentes. Os interessados devem entrar em contato com a instituição, pelo telefone 3434-0100 ou pelo site www.ucl.br. Inscrições já abertas. Há ainda pós-graduação em Engenharia de Petróleo e Gás Natural, Engenharia de Controle e Instrumentação, Engenharia de Projetos Industriais, Engenharia de Segurança do Trabalho, MBA em Gerenciamento de Projetos e MBA em Gestão da Produção e da Manutenção.

Curso Vitória

A instituição de ensino oferece curso preparatório para o concurso da Petrobras para engenheiro de petróleo júnior e administrador júnior, ambos cargos de nível médio. Há ainda cursos de formação de operador de plataforma, engenheiro de operação de plataforma, introdução ao petróleo e gás, cadeia produtiva do petróleo e gás, fundamentos de Engenharia Submarina, garantia de escoamento de petróleo e gás, grandezas físicas e unidades na indústria do petróleo, comércio exterior, logística do petróleo, processamento, fundamentos da NR-13 e NR-10, perfuração de poços, fluidos de perfuração e completação de poços, bombas e compressores, fundamentos de Química do Petróleo. Informações em www.cursovitoria.com.

Funcefet

A instituição traz ao mercado, em parceria com a Unyleya Brasil e a AVM Faculdade Integrada, um programa de educação a distância que abrange todo o Brasil. Os cursos de pós-graduação em Energia, Engenharia, Gestão, MBA, Meio Ambiente, Petróleo e Gás podem ser encontrados, a qualquer época do ano, no endereço eletrônico www.funcefeton-line.com.br.

Fonte: A Gazeta