A 37 dias em greve, servidores de Santa Rita sinalizam proposta da gestão Panta para por fim a paralisação, vídeo

Após realização de assembleia no sindicato de servidores de Santa Rita-PB, SINFESA, em greve a 37 dias, os servidores paralisados decidiram pela continuidade da paralisação nesta quarta-feira (27), em sua sede na Juarez Távora 370,  até que a gestão Panta se sensibilize e apresente uma proposta para ser avaliada com os servidores de todo município.”A comissão de servidores se reuniu várias vezes com secretários da prefeitura e mostramos um cronograma financeiro demonstrando as possibilidades reais de reajuste de geração de receitas e dentro da proposta iremos negociando e deliberando os atrasados de acordo com a receita, greve não é bom pra ninguém”, declarou  o presidente do sindicato José Farias na FM Líder.

“Há 35 dias de paralisação os servidores em assembleia geral avaliaram pela continuidade da greve, aonde na ocasião a categoria agendou mais uma assembleia para a sexta feira (29), a aguardando os prazos solicitados pela prefeitura nas rodadas de negociações para levantamento e criação de proposta para apresentar aos servidores  para ofertar reajuste de salários e que o sindicalista ressaltou também ressaltou da aprovação do PMAQ e do piso dos ACE e ACS, são estes tipos de investimentos que os servidores necessitam para a melhoria da prestação do serviço público e que a gestão acerta em conceder e valorizar os servidores”, afirmou o sindicalista.

Na assembleia geral os servidores discutiram a tramitação da reforma do PCCR da educação e que vários pontos estão sendo questionados pelos servidores,que segundo a comissão que discute com a educação municipal um dos temas que foi ressaltada na assembleia desta (quarta (27), foi equiparação dos professores de nível P1 e p2 que esá judicilalizada, além de diversos pontos divergentes que as categorias deverão sentar e discutir temas abrangentes para que os servidores no futuro não tenham prejuízos como vem sofrendo na gestão Panta, principalmente as diretrizes e o cumprimento da LDB, disse José Farias.

Lamartine do Vale