A ‘anatomia’ do mensalão na delação de Palocci

A ‘anatomia’ do mensalão na delação de Palocci

Antonio Palocci. FOTO: RODOLFO BUHRER/REUTERS

O anexo da delação de Antonio Palocci no qual ele explica o loteamento da máquina pública pelo governo Lula (2003-2010) já é considerado por integrantes do Judiciário e do Congresso uma narrativa histórica sobre a estrutura que o PT e vários partidos políticos (inclusive parte do PSDB) montaram para desviar recursos públicos, uma aula sobre “a anatomia de um crime”, na expressão de um membro do STF, especialmente quando o relato do ex-todo-poderoso ministro petista é cotejado com o acervo do julgamento do mensalão (2012).

‘Filling… Segundo Palocci, desde o início e com raras exceções (BB e BC), todos os órgãos foram usados para desviar recursos. Ele dá detalhes da engenharia e afirma que ela foi responsável pelo caso do mensalão.

…the blanks’. A interpretação é de que o teor da delação de Palocci nessa parte do loteamento preenche lacunas do julgamento e corrobora condenações.

Para lembrar. Em 2012, Palocci e todos os demais membros dos governos petistas ainda negavam sistematicamente as acusações de compra de apoio político no Congresso.

Nego. O PT e a defesa de Lula rechaçam a delação de Palocci. O partido a classifica como uma “farsa”.

CLICK. Davi Alcolumbre postou foto de encontro com João Doria, em Brasília. O governador de SP pediu a ele para apreciar o quanto antes a reforma da Previdência.

REPRODUÇÃO INSTAGRAM DAVI ALCOLUMBRE

Velhas… Indicado para o Detran-RJ por Wilson Witzel (PSC) em agosto, Marcelo Bertolucci promoveu uma série de mudanças no órgão para atender indicações de deputados da Alerj.

…práticas. Para a Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação, foi nomeado Pedro Paulo Thompson de Vasconcellos, bancado pelo deputado Gustavo Tutuca (MDB), conforme apurou a Coluna.

Dados. Thompson de Vasconcellos já trabalhou para a Montreal, empresa de tecnologia detentora de contratos com o Detran-RJ. Ele é sócio da PTV Tecnologia da Informação, investigada pelo TCU por suspeita de superfaturamentos em contratos com a Funasa.

Com a palavra. Thompson de Vasconcellos não quis se pronunciar. O Detran e o deputado Tutuca negaram que as indicações tenham sido políticas.

Campo minado. O MEC já procura um deputado para relatar o projeto que viabilizará o Future-se, carro-chefe da pasta para o ensino superior. Tarefa árdua: na Comissão de Educação, onde ele precisará passar, a base do governo (também) está bem desarticulada.

Convocação. Uma funcionária ficou responsável por “laçar” ministros para a festa-surpresa de aniversário para Onyx Lorenzoni (Casa Civil) no Planalto. A comemoração ocorreu no gabinete de Jair Bolsonaro, após o lançamento da campanha do pacote anticrime.

SINAIS PARTICULARES
Onyx Lorenzoni, ministro da Casa Civil

ILUSTRAÇÃO: KLEBER SALES/ESTADÃO

Ponto… Aliados do governador João Doria (PSDB-SP) respiram aliviados após a entrevista dele ao canal
GloboNews: não titubeou em defender as trajetórias dos ex-ministros Aloysio Nunes Ferreira e Gilberto Kassab e do ex-governador Geraldo Alckmin.

…e contraponto. A leitura feita por políticos em São Paulo: o gesto de Doria é mais um contraponto do governador em relação a Jair Bolsonaro, que virou as costas para Gustavo BebiannoPaulo Marinho e, mais recentemente, ao economista Marcos Cintra.

PRONTO, FALEI!

Augusto Heleno. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Augusto Heleno, ministro do Gabinete de Segurança Institucional: “Se endurecermos pontos do Código Penal, teremos resultados imediatos na redução dos casos de violência”, sobre o pacote anticrime do ministro Sérgio Moro.

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG E JULIANA BRAGA. COLABOROU ANDRÉ MARINHO

Estadão