A seca no sertão não é um acidente!!

zzz MarcosPor Marcos Cavalcanti

O sertão não é sertão por acidente, como que por obra do acaso, o sertão é sertão por natureza, por isso, não pode ser encarado como um acidente, ele esta lá, desde que mundo é mundo e isto, não vai mudar…

A seca instalada nos sertões dos estados nordestinos que produzem os seus efeitos negativos e nefastos sobre a economia dos agricultores., não é uma seca inusitada, mas prevista de longas datas, 1º pelo fato citado logo acima e 2º pelos estudos do Instituto de Atividades Espaciais-(IAE) de São José dos Campos. Esta previsão foi chamada de “Prognóstico do Tempo a Longo Prazo”.

Baseia-se em interpolações e pesquisas cuidadosas fundamentadas no histórico pluviométrico da região nordeste.

A cada 26 anos ocorre uma grande seca, como aconteceu a de 1979/84 quando o DNOCS e outros órgãos dos estados nordestinos receberam antecipadamente relatórios sigilosos analisando e alertando para o que iria ocorrer.

Não é um modelo matemático na acepção do termo, mas um “Método Estatístico de Correlação,” estudo que passou a merecer toda a credibilidade dos técnicos e dos poderes administrativos.

Fizemos, pessoalmente e por curiosidade, uma regressão com o perfil senoidal das secas acontecidas desde a chegada de Tomé de Sousa ao Brasil.

A coincidência foi magistral, a cada 26 anos a senóide entra no seu ramo descendente apontando exatamente as secas ocorridas na região em séculos passados. Exemplificamos só algumas: 1582/84-1777/80-1877/80 -1930/33 1957/59 e por aí vai a ciclometria das secas.

Não é uma equação, é um modelo que pode sofrer alterações nas datas presumidas das secas para mais ou para menos devido à complexidade da trama atmosférica que foge aos domínios de técnicos, meteorologistas e cientistas.

Esta seca instalada agora, sobretudo nos estados da Bahia e da Paraíba, promete durar todo o ano de 2013 e não tem previsão de melhorar nos próximos anos.

Todos estes fatos hora citados, nos revelam que o que devemos fazer é encarar o sertão da forma como ele é e não como um um acidente do destino, todos os prognósticos que possam se fazer, apontará exatamente para o que é obvio, o sertão será sempre sertão…

Contudo, o que até aqui escrito foi, não deve ser entendido como, algo do tipo; “caso sem solução” não existe o que fazer para mudar tudo isso”.

Não é desse jeito, a verdade é que se ao longo do tempo as autoridades responsáveis, tivessem feito um pouquinho cada um a realidade deste povo sertanejo seria completamente outra, o sertão não deixaria de ser sertão e nem poderia deixar de ser, por causa de sua própria natureza, mas tenho plena certeza de que o mesmo homem que teve a capacidade de ir e voltar da lua, que teve a capacidade de construir pontes sobre a imensidão dos mares, que teve a capacidade encontrar e extrair petróleo do fundo deste mesmo mar, também teria a capacidade de fazer com que a água chegasse ao sertão, o fato, é que isto, não é para eles, interessante…

 

Baseado na obra de Manoel BomFim Ribeiro.