Acidente de avião mata dezenas de pessoas na Rússia

avião caiMOSCOU – Dezenas de pessoas morreram em um acidente com um avião comercial neste domingo na Rússia, entre elas o filho do presidente do Tartaristão, que estava a bordo da aeronave. Segundo os serviços de emergência do país, o Boeing 737 da companhia regional Tatarstan Airlines caiu na pista do aeroporto da cidade de Kazan quando o piloto fazia a segunda tentativa de pousar no local. O presidente Vladimir Putin ordenou que o governo forme uma comissão para investigar a causa do acidente.

O filho do chefe do Estado da república russa do Tartaristão, Irek Minnikhanov, de 23 anos, estava na aeronave. Alexander Antonov, chefe do serviço secreto russo (FSB) também teria morrido, segundo a mídia local. A capital do Tartaristão, Kazan, fica a 720 quilômetros a leste de Moscou, de onde o voo partiu. Em sua conta oficial no Twitter, o aeroporto enviou condolências às famílias das vítimas e informou que o local permanecerá fechado até o meio-dia local desta segunda-feira.

Após duas tentativas de pouso frustradas, a aeronave bateu e explodiu na pista quando os pilotos tentaram a aterrissagem. Segundo um comunicado emitido pelo Ministério de Situações de Emergência, todos os 44 passageiros e seis tripulantes morreram. De acordo com testemunhas, o Boeing perdeu altitude rapidamente e seu tanque de combustível explodiu com o impacto. As temperaturas estavam abaixo de zero e céu estava nublado no aeroporto.

Taxa de acidentes aéreos elevada

Com população de 3,7 milhões habitantes, a República do Tartaristão faz parte da Federação Russa. O país e as antigas repúblicas soviéticas tiveram um dos piores registros de segurança de tráfego aéreo do mundo, com uma taxa de acidentes quase três vezes maior que a média mundial, de acordo com uma pesquisa de 2010.

Em abril de 2012, pelo menos 31 pessoas morreram quando um avião russo caiu após decolar na Sibéria. Em setembro do ano anterior, um jato que levava 42 passageiros, dentre eles uma equipe de hóquei da liga russa, explodiu perto da cidade russa de Yaroslavl, matando 44 pessoas.

 

O Globo