Acuado pela PF, Cartaxo tenta transferir culpa da Lagoa para terceiros e “cria” comissão especial

Depois de correr para se defender sobre as acusações de suspeitas de superfaturamento, irregularidades e corrupção nas obras da Lagoa, do Parque Solon de Lucena, mesmo após ter alardeado que a prefeitura de João Pessoa não era alvo de investigações, o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD) parece não estar tão certo da inidoneidade da gestão municipal

É que o gestor fez publicar no Semanário Oficial (de 18 a 24 de junho de 2017) uma decisão em que determina a criação de uma Comissão Especial para apurar eventual responsabilidade administrativa de servidores municipais relacionada à execução do repasse nº 1003534/18, que versa justamente sobre a revitalização do Parque Solon de Lucena, em João Pessoa, como também sobre os fatos apurados pela Polícia Federal.

Para alguns membros da bancada de oposição, diante dessas movimentações, sobretudo do prefeito da Capital, a CPI para investigar a obra da Lagoa deve ser instalada para que a população também tome conhecimento da “caixa preta” que se tornou a obra na gestão Cartaxo.

“Eu só queria saber dos meus colegas vereadores se a gente vai se submeter mesmo a esse espetáculo ridículo que o Poder Executivo está fazendo com o Poder Legislativo!!!!”, desabafou o líder da bancada, vereador Bruno Farias, do PPS.

CONFIRA O DOCUMENTO

PB Agora