Aécio deu carta branca para o PSDB-PB ‘rifar’ Cícero, diz colunista de O Globo

Panorama políticoO jornalista Ilimar Franco, signatário da Coluna “Panorama Político”, do jornal O Globo, publicou nesta quarta-feira (23), que o senador e presidenciável Aécio Neves (PSDB) teria autorizado o senador Cássio Cunha Lima a montar a chapa majoritária para Governo do Estado, com a inclusão de outros partidos e a exclusão do também senador Cícero Lucena. A decisão ocorreu na reunião da Executiva Nacional, na terça-feira (22), em Brasília.

Segundo o colunista, o senador Cássio chegou a se queixar a Aécio de declarações proferidas por Cícero na imprensa paraibana, durante a reunião. Ele também defendeu que a única vaga destinada ao Senado na chapa a tucana fosse ocupada por candidato de outra legenda, a exemplo do PP, do ex-ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro ou ao PTB, do ex-senador Wilson Santiago.

“Cássio disse, na reunião da Executiva nacional, que só poderia ser candidato, garantindo palanque para Aécio, se a vaga ao Senado pudesse ser oferecida para outro partido. O tucano está negociando com o PP e o PTB e reclamou de declarações do senador Cícero Lucena na imprensa regional. O problema é que o correligionário quer ser candidato à reeleição. O PSDB local, mesmo diante da divergência, negocia com o ex-ministro Aguinaldo Ribeiro, do PP, e com o ex-senador Wilson Santiago, do PTB”, diz o colunista.

Ilimar Franco ainda revelou um fala de Cássio Cunha Lima, possivelmente, ocorrida durante a reunião da Executiva, sobre a possibilidade de compor chapa com Aguinaldo Ribeiro. “Caso o ex-ministro Aguinaldo Ribeiro seja nosso candidato ao Senado faremos como em 2010. Eu pedi votos para o Serra e o governador Ricardo Coutinho (PSB) para a Dilma”, teria dito o senador.

 

Cássio diz que não há espaço para candidaturas dele e de Cícero no PSDB

 

Senador diz que não faz questão de continuar no Senado

O senador Cássio Cunha Lima (PSDB) setenciou na tarde de hoje durante entrevista ao programaCorreio Verdade da 98 FM: O PSDB terá que escolher se quer uma candidatura a governador ou a senador. Ele destacou que não há espaço dentro do partido para a candidatura dele a governador e a de Cícero a Senador e chegou a declarar que não terá problema de continuar no Senado, caso o partido opte pela candidatura de Cícero.

“Já foi o tempo que tínhamos hegemonia política para formar chapa partidária. O senador Cícero tem o direito legítimo de ser candidato, mas não vejo como algo viável. É preciso que o partido analise quais são as possibilidades de disputa real sem o partido ficar no isolamento”, declarou.

“O partido vai decidir se quer ter um candidato a governador, ou a senador. Eu não vou ser problema”, disse o tucano deixando claro que não há espaço para ele e Cícero dentro do partido.

Cunha Lima afirmou ainda que não terá problema em seguir com seu mandato no Senado. “Se o partido priorizar a candidatura ao Senado, não tenho dificuldade de continuar meu mandato”.