Amedrontado com críticas de eleitores e aliados Veneziano se vinga em Ricardo Coutinho

Amedrontado com críticas de eleitores e aliados Veneziano se vinga em Ricardo Coutinho

vene impeachment pauIrritado com a avalanche de críticas ao posicionamento tomado sobre a admissibilidade do processo de impedimento da Presidente Dilma Rouseff, aprovado com o seu voto no último domingo pela Câmara Federal, o deputado Veneziano Vital do Rego (ainda PMDB) deu outro ‘tiro no pé’ ao escolher para se vingar uma figura que particularmente não lhe dirigiu até o momento nenhum impropério – o governador Ricardo Coutinho.

A uma pergunta do radialista Valderedo Borba, na Correio FM de Campina Grande onde concedia entrevista por telefone na manhã desta quarta-feira (20), sobre como doravante seria seu relacionamento com o governador – maior defensor de Dilma no Estado -, Veneziano amargurado com o vendaval de insultos que passou a receber inclusive de históricos aliados e ex-dedicados auxiliares nas suas gestões enquanto prefeito da Rainha da Borborema, acabou mostrando o tamanho do ‘pote’ de mágoas que carrega consigo contra o governador por este ter lançado Adriano Galdino candidato a prefeito do Município.

“Porque alteraria em alguma coisa a nossa relação, se o próprio partido do governador votou quase que a unanimidade contra a presidente? O governador bem sabe disso, não há relação alguma. No PSB em nível nacional apenas três deputados deixaram de votar pelo prosseguimento ao Senado do processo em relação a presidente”, disse ele em tom alterado.

Numa mistura perfeita de ‘alhos com bugalhos’ e sem mais conseguir esconder as mágoas contra RC, Veneziano continuou a injusta alfinetada: “Eu não tenho porque ser questionado. Seria a mesma coisa de pensar que devo questionar o governador porque ele apresentou em Campina um candidato a prefeito depois de termos feito o que fizemos aqui”.

Para o deputado, todo mundo tem que ser respeitado, principalmente – explicou – “quando essa opção não é emocional”.

Veneziano revelou ter dito isso ao próprio governador. “Quando os outros partidos fecham questão em torno de uma decisão eles merecem ser respeitados e o PMDB também merece respeito no momento em que sua maioria esmagadora decidiu que iria se posicionar pelo sim”, concluiu sem muito convencimento até porque o Líder do PMDB na Câmara, Leonardo Pìcciani, e mais sete deputados peemedebistas, votaram a favor de Dilma em direto contraponto à posição partidária.

A Palavra Online