Angola : MISA denuncia intimidações contra jornalistas

angola 1Em Angola ainda se aperta o cerco aos jornalistas. Numa altura em que três jovens activistas, que se encontram detidos na cadeia de Caquila, estão em greve de fome desde 21 de Julho para protestar as restrições às visitas e as celas de isolamento nas quais se encontram.

 A casa do jornalista Mário Paiva foi assaltada e o seu computador roubado, na passada sexta-feira, enquanto foram vandalizadas as viaturas da jornalista Ana Margoso e de Alexandre Solombe presidente do MISA Angola, Instituto dos media da África austral, que denuncia um clima de intimidação aos jornalistas após, nomeadamente, o roubo do computador do jornalista Mário Paiva do semanário Agora.
Os 15 activistas angolanos detidos na região de Luanda desde 20 de Junho, indiciados de rebelião, tentativa de golpe de Estado e de atentado contra o Presidente angolano, estão em três prisões : Viana, Calomboloca e Caquila.

Na cadeia de Caquila encontram-se o tenente da força aérea Osvaldo Caholo, António Tomás mais conhecido por “Nicolas o radical” e Mbanza Hamza. Os três detidos estão em greve de fome desde o passado dia 21 de Julho em protesto contra as restrições impostas às visitas e as celas de isolamento em que se encontram.

Os pais dos detidos vão manifestar dia 8 de Agosto para pedir a libertação dos mesmos como explica a mãe do activista Mbanza Hamza que acrescenta que, após a manifestação de dia 29 de Julho com forte presença policial, os familiares dos presos estão a ser intimidados para não prosseguir com concentração.

Noticiário Internacional