Ao vivo. Bolsonaro segue para o Planalto, onde vai falar à nação

Ao vivo. Bolsonaro segue para o Planalto, onde vai falar à nação

Após passar em revista a guarda de honra da Presidência da República e ser saudado com 21 tiros de canhão, o presidente da República, Jair Messias Bolsonaro (PSL), seguiu novamente em carro aberto ao Palácio do Planalto. No caminho, saudou apoiadores que chamavam a primeira-dama, Michelle; cantam “sou brasileiro, com muito orgulho, com muito amor” e gritam “mito” e “nossa bandeira jamais será vermelha”. Bolsonaro subirá a rampa da sede do Poder Executivo federal e receberá, das mãos de Michel Temer (MDB) a faixa presidencial. Depois, deve se dirigir ao parlatório localizado na frente do monumento e falará, pela primeira vez, à toda a nação.

Após tomar posse no Congresso Nacional, Bolsonaro fez um primeiro discurso como presidente da República. Durante cerca de 10 minutos, na tarde desta terça-feira (1º/1), no plenário da Câmara, o ex-deputado federal convocou o Congresso Nacional a colaborar com sua gestão, aprovando as medidas que pretende implementar.

Logo no início, Bolsonaro agradeceu a Deus por estar vivo após sofrer um atentado durante a campanha eleitoral. Ele lembrou as origens da primeira-dama, Michelle, que é de Ceilândia (DF), afirmou que precisará de força para promover o desenvolvimento econômico do país e gerar emprego, e mencionou sua intenção de “livrar o país” da ideologia de gênero. Citando o nome da coligação vitoriosa que o conduziu à Presidência da República, disse pretender governar com “O Brasil acima de tudo e Deus acima de todos”.

Acompanhe a transmissão em tempo real:

Veja imagens da festa na Esplanada: 

 

Bolsonaro chegou ao Congresso por volta das 14h55 e subiu a rampa do Congresso Nacional para ser oficialmente empossado como presidente da República, ladeado pelos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE). Estava com a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, e o segundo dos seus cinco filhos, Carlos, com quem desfilara no Rolls-Royce presidencial pouco antes. O vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, também o acompanhou.

Já dentro do edifício, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, e a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, aguardavam pelo presidente eleito e comitiva. Quando adentrou no plenário da Câmara, Bolsonaro foi recebido aos gritos de “mito”: apoiadores, amigos, familiares e parlamentares tiraram selfs e filmaram toda a solenidade.

Os presidentes de Israel, Benjamim Netanyahu; da Bolívia, Evo Morales; do Chile, Sebastián Piñera; e de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, estavam entre os chefes de Estado convidados. Os ex-presidentes da República José Sarney e Fernando Collor de Mello também prestigiaram a posse.

Segurança reforçada
A segurança da nova cúpula do governo federal e do público é uma preocupação extra, desde que Bolsanaro sofreu um atentado durante ato de campanha, em Juiz de Fora (MG), e se intensificou após a Polícia Federal revelar plano terrorista de ataque durante a posse desta terça-feira.

Atiradores de elite posicionados no alto de prédios, caças rasgando o céu com autorização de abater os inimigos e linhas rigorosas de revistas policiais também fazem parte da logística da festa.

Metrópoles preparou uma cartilha com todos os detalhes para quem não vai abrir mão de assistir de perto à solenidade. Em função dos cuidados com a segurança do novo chefe do Executivo federal, o público que decidir sair de casa para prestigiar o evento deve ficar atento às regras impostas pelo cerimonial.

Confira todos os detalhes:

 

 Metrópoles