Após cair em armadilha de genro, homem é torturado e assassinado em Pedras de Fogo

CRIMONOS PEDRA DE FOGOSManoel Sílio Brajano dos Santos, 39 anos, foi cruelmente assassinado na madrugada deste domingo (10), em Pedras de Fogos, na Mata paraibana. Ele foi encontrado morto pela Polícia Militar na zona rural da cidade, próximo ao sítio Bela Rosa. De acordo com o tenente Carvalho, comandante do Pelotão de Pedras de Fogo, a vítima foi assassinada pelo seu genro de 18 anos e um comparsa. Os acusados foram presos.

O corpo de Manoel Sílio Brajano dos Santos apresentava sinais de tortura. Segundo o tenente, ele teve um dedo da mão esquerda arrancado e vários cortes pelo corpo, como no tornozelo, na cabeça e um corte profundo no pescoço. Os acusados usaram uma foice para cometer o crime.

A vítima foi levada ao local do crime pelo seu genro, que usou a desculpa que precisava de uma carona. Chegando próximo ao sítio, outro homem já os aguardava. Os criminosos roubaram da vítima R$ 500 e dois celulares. “Por volta das 23 horas o genro da vítima ligou para ele, pedindo para levá-lo para zona rural. Chegando em uma mata outro homem já os esperava e foi cometido o latrocínio”, relatou o tenente Carvalho.

A polícia trabalha com duas hipóteses para motivação do assassinato: o de que o genro tenha articulado para roubar o sogro, que tinha recebido uma quantia em dinheiro recentemente, ou de que a execução pode estar relacionada a briga familiar. Segundo o tenente, testemunhas contaram que “a vítima estava se separando da mulher e passava por problemas familiares”.

O genro  da vítima, Rafael Brito do Monte, 18 anos, e Alisson José Pereira, 24 anos foram levados para delegacia do município do Conde.

 

Portal Correio