Após Copom, real tem 2ª maior perda no mundo, com dólar a R$ 4,17.

dólar 4,17 realRIO – No dia seguinte à decisão do Banco Central (BC) de manter a taxa básica de juros inalterada, surpreendendo economistas, o dólar comercial opera em alta de 1,36% contra o real. A divisa americana é negociada a R$ 4,158 na compra e a R$ 4,160 na venda. Na máxima, ela atingiu R$ 4,174, a maior cotação registrada durante uma sessão desde 24 de setembro. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera estável, aos 37.640 pontos.
O real é a segunda moeda que mais perde força frente ao dólar hoje entre as 31 principais divisas do mundo — só perde para o rublo, que recua 3,63% com os investidores retirando capital da Rússia por causa da queda contínua do preço do petróleo.

Globalmente, o dólar opera praticamente estável contra uma cesta de dez moedas, avançando apenas 0,09% segundo o índice Dollar Spot, da Bloomberg.

Na noite de quarta-feira, dividido e sob pressão política para não aprofundar ainda mais a recessão econômica no país, o BC mudou o plano de voo e decidiu manter a taxa básica de juros (Selic) estável em 14,25% ao ano. Seis diretores do Comitê de Política Monetária (Copom) votaram pela estabilidade, mas dois integrantes queriam alta dos juros para conter os preços e ancorar as expectativas. Para justificar a alteração da rota, o BC deu grande peso às turbulências nos mercados internacionais.

“O Copom vai provavelmente indicar (na ata sobre a reunião de ontem) que pretende manter as taxas estáveis por um período suficientemente longo. É a mesma estratégia que o comitê seguia até novembro de 2015, que aparentemente foi abandonada naquela ocasião mas que foi retomada hoje”, escreveram os economistas do banco Brasil Plural, que esperavam que a Selic subisse para 14,5%. “Por enquanto, voltamos para a nossa previsão anterior a novembro, de que a Selic permaneceria inalterada até 2016.”

O Globo