Após jogaço no tempo normal, Liverpool bate Chelsea nos pênaltis e leva Supercopa

Após jogaço no tempo normal, Liverpool bate Chelsea nos pênaltis e leva Supercopa

Após um jogaço no tempo normal, em um empate em 2 a 2, o Liverpool venceu o Chelsea nos pênaltis, em Istambul, e conquistou a Supercopa da Europa.  Os Blues, que começaram a temporada levando uma sacolada do United, ao menos deixaram uma melhor impressão em seus torcedores. Do outro lado, Klopp deu mais um título aos Reds.

Domínio azul Stéphanie Frappart, francesa que se tornou a primeira árbitra a apitar uma decisão da Uefa entre os homens, teve logo aos quatro minutos uma decisão difícil: Sadio Mané tentou bicicleta na área e a bola tocou no braço de Christensen. Sem titubear, a apitadora marcou escanteio.  O Liverpool, porém, seguiu em cima. Era a equipe mais consciente com a bola nos pés. Mohamed Salah teve tudo para abrir o placar aos 15 minutos.

O egípcio recebeu na frente, avançou até a área e arrematou, mas Kepa conseguiu a defesa.  Pouco depois do lance, o Chelsea conseguiu a resposta no primeiro ataque de perigo. Giroud recebeu bola na frente, avançou e tentou de canhota, mas não acertou o alvo.  Os Blues eram sempre perigosos quando trabalhavam a bola com velocidade. Em uma dessas jogadas, Pedro tabelou e saiu na cara do gol, mas mandou bola no travessão.

Os londrinos cresceram e adiantaram a marcação. Kanté passou a comer com arroz e feijão os meias dos Reds, e Kovacic também aparecia bem. Em ótimo passe, o croata deixou Pedro na cara do gol, mas Adrián saiu atento para tirar a bola dos pés de seu compatriota.  O gol acabou sendo questão de tempo, mas saiu aos 35. Pulisic recebeu de Kanté, avançou e descolou uma linda bola para Giroud, que dessa vez bateu de canhota para as redes.

O domínio azul foi ficando cada vez maior com o passar do tempo. Pulisic, em um primeiro tempo de manual, ainda poderia ter feito o 2 a 0, mas, depois de a bola encontrar a rede em um belo chute, a árbitra confirmou marcação de impedimento.  Firmino melhora o Liverpool Roberto Firmino entrou para o segundo tempo e precisou de dois minutos para fazer a diferença.

O brasileiro recebeu lançamento na área e tocou para Mané, que mandou para a rede depois de vencer Kepa.  O garçom Firmino quase comandou a virada ainda antes dos cinco minutos. Após um belo giro de pivô, o atacante rolou para Fabinho, que bateu forte, de primeira, em bola que assustou Kepa.  Logo em seguida, Firmino descolou ótimo passe para Mané, que avançou e virou para Henderson.

O chute desviou na zaga e quase enganou Kepa, que se virou para defender.  Os Reds, que começaram bem a primeira etapa, reassumiram o controle na volta do intervalo e seguiram em cima, apesar de a pressão ter diminuído com o tempo. Aos 29, o time de Klopp voltou a se aproximar da vitória. Salah chutou, Kepa soltou e Virgil van Dijk, na sobra, tentou de novo, mas Kepa fez uma defesaça e ainda viu a trave salvar.

O herói Adrián Sem conseguir o gol no tempo normal, o Liverpool teve de lutar na prorrogação. Mas a dupla Firmino-Sané seguiu fazendo a diferença, e o brasileiro achou o senegalês na área. O chute foi perfeito, sem chance para Kepa.  Só que o Chelsea arrumou um pênalti com Abraham para voltar ao jogo.

O ítalo-brasileiro Jorginho, na cobrança, mandou para a rede e deixou tudo igual novamente.  No segundo tempo da prorrogação, não teve jeito: os jogadores sentiram o cansaço. Abraham, que entrou no decorrer da partida, ainda teve gás para criar uma chance para Pedro, mas Adrián fez grande defesa. O ponta dos Blues voltou a tentar pouco depois, mas não acertou o alvo e a decisão foi mesmo nos pênaltis.

E Adrián, que só jogou pela lesão de Alisson, foi vendo todas as bolas entrarem. E entraram dos dois lados. Até que o goleiro espanhol teve em sua frente o jovem Abraham. Aí, com a perna, Adrián fez a defesa que garantiu o título dos Reds.

O Gol