Após vice na Recopa, Furacão se recupera e vence Fluminense na Arena da Baixada

Após vice na Recopa, Furacão se recupera e vence Fluminense na Arena da Baixada

Após a perda do título da Recopa Sul-Americana para o River Plate no meio de semana, o Athletico Paranaense virou a chave e recebeu o Fluminense, na Arena da Baixada, em jogo válido pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro. Com a bola rolando, o domínio rubro-negro foi amplo e decretou a vitória, por 3 a 0, sobre o Tricolor do Carioca. Com a vitória, o Furacão chega a 10 pontos e pula para a décima posição da competição.

Enquanto o Flu acumula sua quinta derrota no certame, e amargo décimo quinto posto, com seis. Domínio rubro-negro e expulsão Como de costume nos jogos na Arena da Baixada, o Furacão começou a partida pressionando o Fluminense.

O time da casa adiantou suas linhas de marcação e dificultou a saída de bola do Tricolor. Logo aos três, Marco Rubén aproveitou roubada pelo meio e arriscou de fora. A bola, caprichosamente, acertou a trave direita do goleiro Rodolfo. O volume rubro-negro seguiu intenso. Pouco depois, Nikão avançou pela direia e dividiu com Airton. A pelota ficou viva na área, e Rony bateu firme na rede, mas pelo lado de fora.

Até que aos 20, os athleticanos chegaram à liderança do placar. Bruno Guimarães descolou bom passe para Rony, que avançou pela esquerda, foi ao fundo e cruzou para Lucho González, que chegou testou para o fundo do gol. Athletico na frente. A vida da equipe carioca não era fácil.

Além da desvantagem no placar, o tima das Laranjeiras ainda sofreu com a expulsão de Airton, que fez falta violenta em Bruno Guimarães, levou o segundo amarelo e foi expulso. O VAR ainda entrou em ação e, após consulta do árbitro, o amarelo foi cancelado e o volante foi expulso de forma direta. Com um a mais em campo, o Furacão nem precisou de muito esforço para chegar ao segundo.

Aos 37, Márcio Azevedo pintou na ponta esquerda e cruzou para o baixinho Rony, que, de cabeça, ampliou a vantagem rubro-negra na Arena da Baixada. Furacão administra vantagem Por incrível que possa parecer, o desempenho tricolor melhorou na segunda etapa.

Mesmo em inferioridade numérica, os comandados de Fernando Diniz melhoraram o nível de atuação e até conseguiram chegar no ataque. Aos 15, após tabela entre João Pedro e Daniel, Caio Henrique foi acionado pelo lado esquerdo e cruzou rasteiro.

O atacante colombiano Yony González se esticou todo e, por um triz, não alcançou a bola. Com o passar do tempo, o ímpeto carioca foi caindo e o Athletico passou a não correr riscos. O time de Tiago Nunes administrou a posse e, por vezes, chegou com perigo ao ataque.

Numa delas, Nikão arriscou chute de longe e assustou o goleiro Rodolfo. Até que aos 38, Marcelo Cirino, que acabara de entrar, recebeu passe na intermediária, arrumou para o meio e bateu firme de perna direita. A bola desviou no menino Yuri e enganou Rodolfo: 3 a 0 e fim de papo na Arena.

O Gol