Arão e Gabigol minimizam discussão; Jesus cobra equilíbrio emocional do atacante

Na final da Copa Libertadores e com larga vantagem no topo da tabela do Brasileiro, é difícil pensar em crise no Flamengo. Mas uma cena nesta quinta-feira deixou o torcedor preocupado. Após empate em 2 a 2 para o Goiás, Willian Arão e Gabriel Barbosa tiveram de ser separados por companheiros após forte discussão.

A briga foi o grande assunto após o jogo e chamou mais a atenção propriamente que o empate, já que o Flamengo segue com oito pontos de vantagem na liderança. Arão e Gabigol trataram de minimizar a discussão para acalmar o torcedor. “Foi uma discussão de partida, somos Flamengo, queremos vencer sempre.

Empatamos, foi um resultado entre aspas normal, porque estávamos com um a menos, acabamos tomando o gol. Poderíamos ter vencido. Briga vai acontecer sempre. Não é a primeira vez nem a última”, argumentou o atacante. “Coisa normal de jogo, a gente quer vencer. No calor do jogo às vezes ele me cobra, eu cobro ele, eu cobro outros jogadores, acontece, nem sempre a gente vai concordar”, garantiu Arão.

Jesus cobra equilíbrio emocional a Gabigol Jorge Jesus também avaliou o entrevero como uma situação corriqueira entre dois atletas competitivos. O técnico, no entanto, pediu mais equilíbrio emocional a Gabigol, principalmente pelo cartão amarelo que o deixa suspenso para o próximo jogo, contra o Corinthians. “Sofremos dois gols nos últimos minutos, e a equipe ficou estressada.

Nesse time todos têm opinião, todos cobram uns aos outros. Não foi mais que isso, foi o calor do jogo, o futebol é um esporte com muitas emoções, muita adrenalina. Não há tempo para arrefecer qualquer situação emocional que os jogadores possam ter. Isso faz parte dos grandes jogadores e dos grandes times”, analisou Jesus sobre a briga entre a dupla, demonstrando mais preocupação com o cartão de Gabigol por reclamação, o nono amarelo do atacante no Brasileiro.

“Os grandes jogadores não são só os grandes jogadores tecnicamente e taticamente, também são os que têm o equilíbrio emocional acima do normal. Esse é um aspecto que o Gabigol tem que trabalhar”, reconheceu.

O Gol