Árbitro expulsa lateral, se arrepende e manda buscar jogador no vestiário.

Árbitro expulsa lateral, se arrepende e manda buscar jogador no vestiário.

expulsãoO jogador Egídio, do Palmeiras, viveu uma situação rara neste domingo. Expulso do jogo contra a Chapecoense, na Arena Condá, pelo árbitro Jailson Macedo Freitas, ele foi chamado quando ja estava no vestiário para voltar a campo e seguir na partida. O cartão vermelho foi anulado pelo juiz depois de ele ter sido informado pelo quarto árbitro de que marcara erradamente uma falta do lateral palmeirense.

 

 O lance foi no primeiro tempo. William Barbio, da equipe catarinense, foi lançado em velocidade num contra-ataque. Egidio saiu em perseguição ao adversário e, como último recurso para impedir que ele invadisse a área do Palmeiras, deu o carrinho. Barbio caiu e se contorceu no gramado. Jailson Macedo de Freitas não teve dúvida: apitou a falta e, cartão vermelho em punho, expulsou o lateral.

Os jogadores do Palmeiras ficaram indignados e reclamaram muito, cercando o árbitro. Até aí nada mais natural e corriqueiro. Egidio tomou o rumo do vestiário e “foi para o chuveiro mais cedo”, como diziam os radialistas de antigamente. Surgiu então uma informação para o juiz. Ele se dirigiu ao bandeirinha, que apenas repetiu o alerta recebido do quarto árbitro:

– Foi na bola.

Jailson Macedo Freitas consultou então o quarto árbitro na beira do campo.

– O Egidio foi na bola – ouviu.

Jogadores do Palmeiras cercam o árbitro Jaílson Macedo Freitas após explusão de Egidio

As imagens da transmissão de TV confirmavam: Egidio tinha mesmo atingido a bola, em jogada limpa, sem falta, sem motivo para expulsão.

O árbitro fez o gesto de anular a expulsão, que já tinha sido comemorada com entusiasmo pela torcida da Chapecoense. E agora, cadê o Egidio?

– Chama o Egido lá! – gritou o capitão do Palmeiras, o goleiro Fernando Prass.

Tiveram que mandar um emissário, a mando do juiz, ao vestiário do Palmeiras. E Egidio voltou.

O episódio levantou suspeita de que o quarto árbitro (ou alguma outra pessoa que pudesse avisá-lo) tivesse feito uso de imagens de TV para rever o lance e então informar ao juiz, o que não é permitido pela regra. Mais ainda pelo fato de todo o processo ter demorado, segundo a transmissão do Sportv, quatro minutos e 25 segundos entre o lance e a decisão de Freitas de anular a expulsão.

O quatro árbitro, porém, garantiu à reportagem do Sportv que não usou recurso tecnológico de imagem e que viu na hora. A demora em alertar Jailson Macedo Freitas se deveu, segundo ele, a um problema no sistema de comunicaçao por rádio com o árbitro.

No segundo tempo, o lateral ganhou cartão amarelo. E talvez tenha entrado para a história como o primeiro a receber amarelo depois de levar o vermelho.

ÁRBITRO SE ARREPENDE EM OUTRO LANCE

Tudo isso foi pouco para Jailson Macedo Freitas. No segundo tempo, ele voltou a se arrepender de uma marcação. Foi no lance do terceiro gol da Chapecoense, marcado de cabeça por Túlio de Mello. Primeiro ele anulou o gol, atendendo a um aceno do auxiliar, que levantou a bandeira dedurando impedimento de William Barbio, que, porém, não participou do lance. Em seguida, desfez a anulação e confirmou, acertadamente, o gol, para protesto geral dos jogadores do Palmeiras. O capitão Fernando Prass reclamou tanto que levou cartão amarelo. Desta vez, sem que Jailson Macedo Freitas voltasse atrás.

O Globo