Ataque com drone mata pelo menos 30 no Iêmen

TRINTA MORTOS NO NEPALPelo menos 30 supostos membros da rede terrorista Al Qaeda foram mortos e vários ficaram feridos em um ataque por mísseis teleguiados realizado neste domingo (20) no sul do Iêmen, de acordo com um líder tribal. O ataque visava um campo de treinamento da rede extremista, atingido por “vários mísseis”, segundo a fonte.

O campo estaria situado em Wadi Ghadina, uma região montanhosa da província de Abyane, na divisa com a província de Chabwa, duas áreas onde a implantação da Al Qaeda é sólida. Segundo testemunhas, a maioria dos feridos foi levada por membros da rede que sobreviveram ao ataque, feito provavelmente por drones americanos. Os Estados Unidos são o único país que dispõe deste equipamento na região.

O bombardeio ocorre um dia depois de 10 combatentes da rede terrorista e três civis serem mortos por outro drone, na província central de Baida. Os membros da Al Qaeda ocupavam um veículo, do qual os civis estavam próximos.

Controvérsias

Os aparelhos foram muito utilizados no ano passado para ajudar as autoridades iemenitas na luta contra a Al-Qaeda e mataram dezenas de suspeitos de ligação com a rede extremista, mas também civis. Em março, o presidente iemenita Abd Rabo Mansur Hadi defendeu o uso dos drones.

“Somos obrigados a recorrer aos drones para limitar as atividades da Al Qaeda e as movimentações de seus integrantes”, disse. Hadi reconheceu “erros limitados” no uso dos aparelhos, mas afirmou que o número de vítimas era maior com o uso da aviação iemenita contra os terroristas.

A Al-Qaeda na Península Arábica (AQPA), considerada por Washington o braço mais perigoso da rede, é muito ativa no Iêmen.

RFI