Ataque em dois hotéis na Tunísia deixa ao menos 27 mortos.

 

 

ataque na tinia 27 mortosFotos das vítimas do ataque são divulgadas nas redes sociais – Reprodução Twitter

TUNIS — Um ataque terrorista perto de dois hotéis na praia de Sousse, na Tunísia, deixou pelo menos 27 mortos nesta sexta-feira. Segundo os relatos, homens armados abriram fogo contra turistas. O porta-voz do Ministério do Interior, Mohammed Ali Aroui, disse que as forças de segurança reagiram imediatamente e mataram um dos atacantes, enquanto o outro foi preso depois de fugir do local. O atentado ocorre no mesmo dia em que um corpo foi encontrado decapitado ao lado de uma bandeira islâmica em uma usina na França e em que o EI reivindicou um ataque a uma mesquita no Kuwait que deixou 13 mortos. Na quinta-feira, o Estado Islâmico havia convocado seus seguidores a aumentarem ataques durante o Ramadã contra cristãos, xiitas e muçulmanos sunitas que estiverem lutando com a coalizão liderada pelos Estados Unidos contra o grupo extremista.

O suspeito detido foi identificado como Rafik Chelly, um estudante da cidade de Kantaoui, também conhecida como al-Qayrawan, informaram as autoridades tunisianas.

O ataque na Tunísia ocorreu perto do Hotel Imperial Marhaba, da rede espanhola RIU, informou a imprensa local, e a maioria das vítimas seria britânicos e alemães. Sousse, a cerca de 150 quilômetros de Túnis, é um dos balneários turísticos mais populares da Tunísia e atrai europeus e norte-africanos durante o ano inteiro.

Elizabeth O’Brien, uma irlandesa que estava de férias na praia com seus dois filhos, contou que pegou as crianças e correu para salvá-las depois de ouvir os tiros.

— Nós estávamos na praia, meus filhos estavam no mar — disse ela à rádio RTE. — Eu vi duas das pessoas que estavam indo para o hotel voltarem correndo.

Local do ataque na Tunísia – .

Outro turista, John Yeoman, escreveu no Twitter que ficou apavorado ao escutar tiros e ver pessoas correndo no hotel. Em seguida, ele publicou fotos de uma cama encostada na porta de seu quarto, na tentativa de se proteger dos terroristas.

Fotos divulgadas nas redes sociais mostram supostas imagens de turistas mortos depois do ataque. Em uma delas, aparecem os corpos de um homem e uma mulher com roupas de banho próximos a cadeiras de praia. Até agora não há detalhes sobre as nacionalidades dos mortos.

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, condenou os ataques e informou que um comitê de emergência do governo se vai se reunir nesta sexta-feira para discutir as consequências dos atentados terroristas.

— Esta é uma ameaça que todos nós enfrentamos. Estes acontecimentos ocorreram na Tunísia e na França, mas eles podem ocorrer em qualquer lugar — disse Cameron.

A Tunísia está em estado de alerta elevado desde março, quando homens armados atacaram o Museu Bardo em Túnis, mantando 22 turistas em um dos maiores ataques em um década no país. Depois do atentado, o turismo teve resultados muito ruins em abril, com uma queda de 25,7% do número de visitantes e de 26,3% das rendas em relação ao ano anterior.

As autoridades estimam que há mais tunisianos lutando pelo Estado Islâmico do que combatentes de qualquer outra nacionalidade.

O Globo