Ataques palestinos deixam 3 mortos e aumentam a tensão em Israel

Ataques palestinos deixam 3 mortos e aumentam a tensão em Israel

ataque israel - palestinaEquipe de socorro auxilia um homem ferido por facadas em Jerusalém(Ronen Zvulun/Reuters)

Palestinos armados com facas e uma arma de fogo mataram nesta terça-feira pelo menos três pessoas e feriram várias outras em uma série de ataques em Jerusalém e em Ra’anana, localidade próxima a Tel Aviv, informou a polícia de Israel, em um ‘Dia de Fúria’ convocado por grupos palestinos. Em Ra’anana, um homem esfaqueou pelo menos quatro pessoas, duas delas com ferimentos graves. O autor da agressão foi detido, informou a polícia. Minutos antes, outras cinco pessoas ficaram feridas e pelo menos uma delas morreu em um incidente que incluiu um atropelamento proposital no bairro ultra-ortodoxo de Mea Shearim, em Jerusalém. Após o atropelamento, o motorista desceu do veículo com uma faca para tentar atacar as pessoas que passavam pelo local. Segundo a polícia, as vítimas estavam em um ponto de ônibus e o agressor foi “neutralizado” pelas forças de segurança.

O fato mais grave ocorreu minutos antes no bairro-assentamento judaico de Armon Hanatziv, em Jerusalém Oriental, onde dois palestinos de 22 e 24 anos e moradores da parte oriental da cidade utilizaram uma arma de fogo e uma faca de grandes dimensões para realizar ataques contra os transeuntes. O episódio aconteceu em uma área limítrofe com a população palestina de Yabel Mukaber, e foi declarada desde o primeiro momento pelas equipes de socorro como situação de emergência com vários feridos.

Com a pior inquietação dos últimos anos em Israel e territórios palestinos sem sinais de diminuição, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, pediu por um encontro do gabinete de Segurança para discutir novos planos operacionais. Autoridades disseram que o ministro da Segurança Pública de Israel estava considerando isolar as regiões palestinas em Jerusalém Oriental, lar de muitos dos agressores das semanas recentes, do resto da cidade. Diferentemente do que acontece na Cisjordânia, palestinos em Jerusalém Oriental podem viajar em Israel sem restrições. Israel anexou Jerusalém Oriental após uma guerra em 1967, em uma ação que não foi reconhecida internacionalmente.

Israel vive uma onda de violência que já tirou a vida de seis israelenses e deixou mais de vinte feridos. Entre os palestinos, são 29 mortes e dezenas de feridos. Em 13 dias, ocorreram dezessete esfaqueamentos de palestinos contra israelenses e um caso em que um judeu ultraortodoxo apunhalou quatro árabes na cidade de Dimona, no sul do país, além de múltiplos distúrbios violentos e enfrentamentos entre palestinos e forças de segurança israelenses em Jerusalém Oriental, Cisjordânia e Gaza.

A tensão é tão grande que aumenta a cada dia o risco de uma grande revolta palestina sob a forma de uma terceira intifada. Além disso, o medo dos atentados com bomba que durante a segunda intifada (2000 – 2005) semearam o terror entre a população israelense retornou com força. A primeira intifada ocorreu em 1987.

(Da redação)