Athletico Paranaense pressiona, fica com um a mais, mas não supera Cruzeiro na Arena

Na primeira partida após a saída do técnico Tiago Nunes, que está encaminhado com o Corinthians em 2020, o Athletico Paranaense recebeu o Cruzeiro, na Arena da Baixada, e não saiu do zero. Mesmo com muito volume, o Rubro-Negro não saiu do zero com a Raposa. Com o empate, o time celeste chega a 35 pontos e segue com o sinal de alerta ligado.

Do outro lado, o Furacão soma 47 pontos e figura no sétimo posto do Brasileirão. Fábio mantém igualdade no placar Apesar de estar jogando na Arena da Baixada, o Cruzeiro deu mostras de que não jogaria para se defender. Logo aos oito minutos, Robinho recebeu e levou perigo à meta do goleiro Santos. Porém, depois dessa oportunidade perdida, o Furacão assumiu o controle das ações.

Na pressão, o Rubro-Negro passou a acumular chances para abrir o placar. Aí apareceu a figura de Fábio, que, em noite inspirada, foi o grande personagem da primeira etapa. Rony, Bruno Guimarães, Thiago Heleno… esses foram alguns athleticanos que estiveram perto de marcar, mas pararam em defesas do arqueiro celeste. Do outro lado, Santos foi bem menos acionado, mas quando foi preciso, apareceu bem.

Aos 40, Dodô arriscou de longe, com veneno, obrigando o camisa 1 do Athletico a mandar para escanteio. Nada de gols Na volta do intervalo, a Raposa começou assustando. Logo aos dois minutos, Sassá arriscou um chute de perna esquerda. Santos, ligado no lance, fez grande defesa. Aos 12, os mineiros chegaram a abrir o placar. Fábio deu um chutão para frente, Sassá ganhou pelo alto, ficou livre e tocou para o gol.

Porém, o atacante cruzeirense usou a mão na jogada, levou o segundo amarelo e foi expulso. Com um jogador a mais, o Furacão até tentou aumentar seu volume para pressionar o Cruzeiro, mas não funcionou. A melhor chance foi de Bruno Nazário, que, de cabeça, quase venceu o arqueiro adversário.

Da metade para o fim da etapa complementar, o Cruzeiro, de forma corajosa, mostrou mais vontade de ter a vitória. Aos 40, Ezequiel se pedalou em cima do marcador e, mesmo sem ângulo, bateu para o gol. A bola explodiu na trave de Santos e não entrou por muito pouco. Fim de papo e nada de gols na Arena da Baixada.

O Gol