Barcelona vence Juventus por 3 a 1 e conquista sua quinta Liga dos Campeões.

barcelona campeãoNeymar bate de canhota, em chute cruzado dentro da área, para vencer o goleiro Buffon e fechar o placar: Barcelona 3 a 1 no Juventus e campeão europeu

BERLIM – Foi um fim esperado e merecido. Favorito, o Barcelona venceu o Juventus por 3 a 1 e conquistou a sua quinta Liga dos Campeões. Na despedida de Xavi do futebol europeu, coube a ele levantar a taça de campeão, a sua quarta (quinta do clube), antes de ir jogar no Qatar. Enquanto o espanhol era alçado ao posto de lenda, com seus 26 títulos conquistados, outro mito saía discretamente de campo: Andrea Pirlo deu adeus à Europa e ao Juventus sem a taça e com lágrimas nos olhos. A caminho dos Estados Unidos, verá de longe o estabelecimento do Barcelona como uma equipe que ainda será referência no continente e no mundo por muitos anos.

O técnico Luis Enrique explode de alegria com a Tríplice Coroa do Barcelona, campeão espanhol, da Copa do Rei e também da Liga dos Campeões

Hegemônico, grandioso, imbatível. O Barcelona foi tudo isso na temporada e mereceu o pentacampeonato. Agora, está ao lado de Liverpool e Bayern de Munique na galeria dos grandes campeões. Milan, com 7 taças, e Real Madrid, com 10, estão no topo. Mas o Barcelona tem tudo para alcançá-los no futuro.

Buffon batido, bola na rede, Suárez começa sua festa: 2 a 1 para o Barcelona em cima do Juventus

Já os italianos, conhecidos por amarem a retranca perfeita, por décadas ganharam fama no futebol mundial por não deixarem o adversário jogar. Mas ninguém resiste ao toque de bola envolvente, à arte de entrar na área e furar o bloqueio sem recorrer ao expediente da bola levantada a esmo. Nem mesmo uma defesa formada por Barzagli e Bonucci. Talvez se Chiellini estivesse em campo…

RETRANCA FURADa

Mas não estava. E assim o Barcelona balançou as redes, logo com três minutos do primeiro tempo. Em uma reedição dos melhores tempos do time catalão, após envolvente troca de passes, Neymar serviu a Iniesta, que encontrou Rakitic livre na área. O croata, com apenas um toque, marcou o gol. A bola ainda passou perto dos dedos de Buffon…

Uma goleada ou uma brava resistência. Eram os dois caminhos que o jogo poderia tomar. E a segunda opção prevaleceu. Aos 13, Buffon defendeu chute de Daniel Alves. Aos 38, Suárez bateu de fora da área e a bola passou raspando.

E Gianluigi Buffon precisou trabalhar para evitar outro golpe certeiro aos 40, novamente em chute de Suárez, que o goleiro italiano defendeu.

Na virada do tempo, quase a história se repetiu. Aos três minutos da segunda etapa, em um contra-ataque fulminante, o Barcelona chegou à área com cinco jogadores contra três do Juventus. Rakitic chutou no canto, cruzado, mas Buffon estava lá para fazer a defesa.

Diante da supremacia dentro e fora de campo, a torcida do Barcelona começou a gritar “olé!”. Era cedo, mas a hegemonia do time, que ocupava todos os espaços, era imensa. Mas, realmente, era cedo demais…

Alvaro Morata pega o rebote do goleiro do Barcelona e empata o jogo para o Juventus: 1 a 1

Sem abrir a defesa nem abdicar do ataque, o Juventus chegou ao gol de empate através de uma jogada de efeito, que começou com um toque de calcanhar de Marchisio para Lichtsteiner. O suíço rolou para o meio da área, onde Tevez, de virada, chutou forte. Ter Stegen defendeu, mas deu rebote. Morata só teve o trabalho de tocar para empatar, aos 9.

NEYMAR FAZ DOIS, UM É ANULADO

E, quem diria, o salvador até então soltou a bola do jogo nos pés de Suárez. A mordida do atacante uruguaio foi maior que aquela em Chiellini na Copa do Mundo do Brasil. Quando Messi veio de frente para o gol, na intermediária, já era possível prever o que aconteceria. Mesmo assim, não foi possível pará-lo. O argentino cortou a marcação com seu drible característico e chutou. Buffon defendeu, mas soltou nos pés de Suárez, que só empurrou para as redes, aos 23.

Sob pressão, o Juventus e o juiz Cüneyt Çakır não resistiram. Aos 25, Neymar cabeceou e a bola, antes de entrar, bateu em sua mão. Os italianos reclamaram muito e o conseguiram que o gol fosse anulado.

No fim, a já tradicional pressão, na base do abafa, levou Ter Stegen a fazer grande defesa aos 43, quando ele foi espalmar no seu canto esquerdo um chute colocado de Marchisio.

Neymar comemora seu gol, o terceiro na vitória do Barcelona contra o Juventus. Com a vitória por 3 a 1 o time espanhol se tornou campeão da Europa pela quinta vez – Michael Dalder / REUTERS

No último lance do jogo, já nos acréscimos, em contra-ataque fulminante, Neymar foi agraciado com o seu gol, o décimo dele na Liga, da qual é artilheiro ao lado de Messi e Cristiano Ronaldo. Depois de ter passado da bola, mas conseguir tocá-la para Pedro, o atacante brasileiro só precisou esperar o passe para chutar cruzado e fazer o terceiro. Apito final, taça na mão. É penta!

O Barcelona, também campeão espanhol e da Copa do Rei na temporada, conquista a Tríplice Coroa com o título da Liga dos Campeões. E se torna o primeiro clube da Europa a conquistar duas vezes a tripleta, que une título nacional, de Copa e europeu.

JUVENTUS 1 X 3 BARCELONA

Juventus: Buffon, Lichsteiner, Bonucci, Barzagli e Evra (Coman); Pogba, Marchisio, Pirlo e Vidal (Pereyra); Tévez e Morata (Llorente).

Barcelona: Ter Stegen, Daniel Alves, Piqué, Mascherano e Jordi Alba; Busquets, Rakitic (Mathieu) e Iniesta (Xavi); Suárez (Pedro), Neymar e Messi.

Juiz: Cüneyt Çakır (Turquia).

Gols: Rakitic: 3m 1T; Morata: 9m 2T; Suárez: 23m 2T e Neymar: 50m 2T.

Cartões amarelos: Pogba, Vidal, Suárez.

O Globo