Batinga cobra do Estado obras para receber águas da Transposição do Rio São Francisco

batinga um umO deputado Carlos Batinga (PSC) participou de reunião do Conselho Estadual de Meio Ambiente (COEMA) da Confederação Nacional da Indústria (CNI), realizado na Federação das Indústrias do Estado da Paraíba (FIEP) na ultima sexta-feira (08). Na oportunidade, Batinga fez intervenções sobre o projeto de Transposição de Águas do Rio São Francisco.

 

O deputado enfatizou que são muitos projetos, muitos investimentos, mas não existe nenhuma prioridade do governo estadual e de alguns municipais sobre a estrutura para receber e gerir as águas. “Também não existe prioridade do governo no que diz respeito a qualificação e capacitação da população que será beneficiada”, disse.

 

Batinga acrescentou que existe um desentendimento dos órgãos públicos e prefeituras quanto aos critérios do uso da água, envolvendo os tipos de projetos, áreas abrangidas e atendidas. Segundo ele, dos 53 municípios das bacias dos rios que receberão as águas, apenas 11 iniciaram os projetos de saneamento. “Há um despreparo total dos órgãos públicos no que se refere ao projeto de transposição e chegada das águas na Paraíba”, afirmou.

 

“Em Pernambuco e no Ceará as obras para receber a transposição estão bem adiantadas, mas na Paraíba pouco ou quase nada do dever de casa foi feito”, acrescentou.

 

Além de batinga, também participaram da reunião o Presidente do COEMA, Olavo Machado Júnior; o secretário Executivo do COEMA, Shelley de Souza Carneiro; o presidente da FIEPB, Buega Gadelha; o presidente da Agência Nacional de Águas (ANA), Vicente Andreu; o secretário de Recursos Hídricos, Meio Ambiente, Ciências e Tecnologia do Estado da Paraíba, João Azevedo Lins Filho.

 

Buega Gadelha falou sobre Segurança hídrica no semi-árido brasileiro. Segundo ele, a Paraíba sem o São Francisco é inviável. “Por isso nossa defesa intransigente pela Transposição de Águas. Precisamos apenas de uma vazão de 26m³ por segundo”, afirmou o presidente.

Assessoria