Batinga solicita a Cagepa reativação de sistemas de abastecimento de água no Cariri - :: Paraiba Urgente :: Portal de Notícias

Batinga solicita a Cagepa reativação de sistemas de abastecimento de água no Cariri

carlos batingaO deputado Carlos Batinga (PSC) ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa (ALPB), na sessão desta quarta-feira (13), para solicitar ao Governo do Estado, através da Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa), que sejam mantidos ou reimplantados os sistemas de abastecimento de água locais de diversas cidades do Cariri Ocidental, que hoje estão sendo abastecidas pela adutora do Congo.

Batinga explicou que nos municípios de Sumé, Monteiro e Serra Branca, por exemplo, após a inauguração da adutora os sistemas locais foram desativados, mesmo o açude público de Sumé sendo quase do mesmo tamanho do reservatório do Congo. Segundo o deputado, Monteiro e Serra Branca ficam a mais de 60 quilômetros do Congo e a reimplantação dos sistemas locais irá baratear custos para a Cagepa.

 O deputado acrescentou esperar que agora, com o empréstimo da Cagepa, contraído para quitar dívidas com bancos privados e sanear financeiramente à empresa, estes sistemas locais possam ser reativados. “Apesar de não acreditar que a Cagepa vá solucionar seus problemas com o empréstimo, já que entendo que o problema da empresa é a má gestão, falta de projetos e de metas futuras, espero que com a situação saneada, como prometeram antes do empréstimo, reativem os sistemas de abastecimento locais das cidades do Cariri Ocidental”, declarou.

O deputado destacou que a adutora do Congo foi pensada para dá suporte aos abastecimentos locais em momento de necessidade, mas “não tem condições de atender todo o Cariri ocidental o tempo inteiro, como está acontecendo no momento”.  “É fundamental que a adutora do Congo seja bem mantida ou expandida pela Cagepa para atender bem as cidades do Cariri ocidental, porém é inadmissível que fique como única alternativa, uma vez que tem outros reservatórios que podem ajudar no abastecimento e evitar que ocorra um colapso no açude do Congo”, disse.

Batinga ressaltou que outro fato preocupante é que a economia do Congo tem no seu reservatório de água uma fonte de desenvolvimento pela pesca e agricultura irrigada, o que pode ser comprometido pela má gestão da água. “Isto tem preocupado muito o prefeito do Congo Romualdo Quirino. O desativamento dos sistemas locais é também uma preocupação de toda a comunidade do Cariri”, completou.

Coxixola

O deputado disse também que neste final de semana durante visita a Coxixola manteve conversas com moradores da cidade e sentiu a felicidade da população com a promessa do governador Ricardo Coutinho (PSB) de estender a adutora do Congo até o município, mas também constatou a preocupação dos vereadores Alexandre Neves e Fábio Oliveira sobre a possibilidade do sistema local, que é feito pelo açude Lagoa de Cima, ser desativado.

“O açude Lagoa de Cima fica a quatro quilômetros de Coxixola, tem água de boa qualidade e não pode ser desativado. È ótimo que a adutora do Congo seja estendida até o município, mas com os dos sistemas fincando em funcionamento”, afirmou.

Após o pronunciamento, o deputado disse que irá apresentar requerimentos na Casa de Epitácio Pessoa para cobrar do Governo do Estado soluções para o problema.