Bayern goleia de novo e elimina Arsenal

Vidal e Douglas Costa marcaram gols na goleada sobre o Arsenal

Vidal e Douglas Costa marcaram gols na goleada sobre o Arsenal (Foto: Stefan Wermuth/Reuters)

Não houve surpresas no segundo confronto entre Arsenal e Bayern de Munique, pelas oitavas de final da Liga dos Campeões, nesta terça-feira. Como já era esperado, após a goleada dos alemães, por 5 a 1, no último dia 15, os Gunners foram eliminados do torneio europeu sofrendo mais uma derrota, pelo mesmo resultado, em casa.

Jogando no Emirates Stadium, mas com um placar nada favorável, o Arsenal começou a partida com força total no ataque. Não demorou muito para o time londrino marcar o primeiro gol. Aos 19 minutos, o atacante Walcott recebeu a bola na lateral, invadiu a área e, mesmo sem muito ângulo, soltou uma bomba sem defesa para Neuer.

Mesmo com a vitória parcial, e precisando marcar mais três gols para avançar às quartas da competição, os Gunners não conseguiam manter a bola nos pés. Com paciência, o Bayern começou a dominar o jogo, mesmo perdendo, finalizaram mais nos primeiros 45 minutos.

A resposta para a melhora do time de Acelotti chegou apenas na segunda etapa de jogo. Arrasador, o Bayern de Munique marcou cinco gols em 30 minutos. Primeiro, o empate veio com o pênalti, sofrido e convertido por Lewandowski, aos 9. Robben, aos 22, protagonizou a virada, e Douglas Costa saiu do banco para aumentar o placar, aos 32.

A virada foi muito sentida pelos londrinos, mas o pesadelo começou após a estrela de Vidal brilhar (duas vezes). O chileno fez o primeiro dele, aos 34, em saída de bola errada dos ingleses. Quatro minutos depois, aos 38, o meio-campo decretou a goleada.

Com muita facilidade, o Bayern de Munique avança às quartas de final da Liga dos Campeões e aguarda o sorteio para saber o seu próximo adversário no torneio.

Do outro lado, a fase se torna cada vez mais difícil para o Arsenal. Vindo de resultados ruins em várias competições, com racha no elenco, a eliminação desta terça só aumenta a cobrança da torcida, que pede a saída do técnico Arséne Wenger, há 21 anos no comando do clube.

Band