João Pessoa 14/12/2018

Início » Política » Bolsonaro descarta filho na Secom e cita Guilherme Schelb para a Educação

Bolsonaro descarta filho na Secom e cita Guilherme Schelb para a Educação

Nomeação de filho enfrentaria ações - Procurador é alinhado a pautas bolsonaristas

Presidente Jair Bolsonaro durante visita a Procuradora-Geral Raquel Dodge, na PGR. Brasilia, 20/11/2018. Foto: Sérgio Lima/Poder 360

Jair Bolsonaro disse que ainda não definiu quem ocupará o Ministério da Educação

Jair Bolsonaro disse na manhã desta 5ª feira (22.nov.2018) que seu filho Carlos “dificilmente” assumirá a Secretaria de Comunicação da Presidência da República. A possibilidade foi comentada na 4ª (21.nov) pelo próprio Bolsonaro, mas enfrentaria questionamentos jurídicos por nepotismo.

Em entrevista à imprensa após reunir-se com os futuros comandantes das Forças Armadas, o presidente eleito também descartou a nomeação de Mozart Neves Ramos para o Ministério da Educação. A indicação do diretor do Instituto Ayrton Senna chegou a ser noticiada na 4ª (21.nov), mas enfrenta oposição de setores como a bancada evangélica, e não foi oficializada.

Bolsonaro disse que ainda não decidiu quem será o chefe da pasta em seu governo. Mas disse que se encontrará para conversar com o procurador Guilherme Schelb, favorável à proposta conhecida como Escola Sem Partido e contrário a discussões relativas a gênero nas escolas.

“Está previsto encontrar com ele. Não sei onde vai ser, se vai ser na Granja do Torto ou lá [no centro de transição do CCBB]. Tá previsto. É igual casamento né, a gente fica noivo e depois marca a data do casamento na frente”, disse.

Eis o que o presidente eleito comentou sobre outros temas:

APOIO DO CENTRÃO

“A maioria dele [do Centrão] ou me apoiou ou ficou neutro. Ninguém apoiou o candidato deles. Eles têm consciência que o Brasil continuando nesta forma de fazer política, do toma lá da cá, continuaremos com 1 estado ineficiente e corrupto. É isso que nós não queremos.”

MILITARES NO GOVERNO

“A mensagem é o seguinte: primeiramente foi escolhido aqui, convidado o general Fernando e é dele a indicação dos comandante de Força, com todo respeito às instituições, às nossas tradições. A antiguidade fala mais alto no nosso meio e ela, obviamente, leva a hierarquia e a disciplina. Não pode ser diferente.

Eu sou capitão do Exército, até conversei agora há pouco com eles: qual tua turma de formação? Todo mundo aqui é mais antigo do que eu, exceto o brigadeiro, que é mais novo do que eu 1 ano. Mas entre nós aqui há 1 respeito enorme.

Inclusive, eu propus a eles agora trazermos para cá os comandos militares para a Esplanada. Por que foram tirados daqui? Nós não podemos prescindir do conhecimento, do patriotismo, dos propósitos que os militares têm para com o Brasil. Aí vou conversar com nosso ministro da Defesa. A decisão não vai ser minha, vai ser nossa. Ninguém faz nada sozinho e temos que fazer 1 trabalho em equipe.

Os que estão hoje, aqui, agora, como sempre, seus antecessores, estiveram com o mesmo propósito. É o Brasil acima de tudo, o patriotismo, o respeito, hierarquia, disciplina. É fazer 1 Brasil diferente de forma que esse povo possa ser feliz no futuro.”

CASAMENTO DE ONYX LORENZONI

O futuro ministro da Casa Civil celebrará seu casamento nesta 5ª feira em Brasilia. Questionado se compareceria à cerimônia, Bolsonaro disse:

Vou, minha esposa inclusive está aqui pra isso. Vocês devem saber né, quando 1 homem está cansado de ser feliz, o que ele faz? Procura uma mulher, se casa com ela, para ser feliz mais ainda. É o que o Onyx tá fazendo hoje“.