João Pessoa 13/12/2018

Início » Destaque » Bolsonaro diz que cheque de ex-assessor para Michelle foi pagamento de dívida

Bolsonaro diz que cheque de ex-assessor para Michelle foi pagamento de dívida

RIO — O presidente eleito JairBolsonaro confirmou nesta sexta-feria o repasse, por meio de cheques, do ex-assessor do deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro , Fabrício José de Queiroz a Michelle Bolsonaro, sua mulher. Em entrevista ao site “O Antagonista”, Bolsonaro contou que diferentemente do que foi indicado pelo relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras ( Coaf ), anexado ao inquérito daOperação Furna da Onça , não foram R$24 mil, e sim R$40 mil, referentes ao pagamento de um dívida pessoal.

“Emprestei dinheiro para ele em outras oportunidades. Nessa última agora, ele estava com um problema financeiro e uma dívida que ele tinha comigo se acumulou. Não foram R$ 24 mil, foram R$ 40 mil. Se o Coaf quiser retroagir um pouquinho mais, vai chegar nos R$ 40 mil”, disse a O Antagonista.

Segundo o presidente eleito, o ex-assessor de seu filho mais velho fez dez cheques de R$ 4 mil.

“Eu podia ter botado na minha conta. Foi para a conta da minha esposa, porque eu não tenho tempo de sair. Essa é a história, nada além disso. Não quero esconder nada, não é nossa intenção”, disse.

Bolsonaro disse ainda que não registrou a operação financeira no imposto de renda. O presidente eleito contou que se surpreendeu com a indicação de uma movimentação de R$ 1,2 milhão na conta de Queiroz, incompatível com sua renda. Ele disse que cortou o contato com Queiroz até que ele se explique para o Ministério Público.

De acordo com o relatório do Coaf, que apontou movimentações financeiras suspeitas de funcionários da Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj), o ex-assessor movimentou R$ 1,2 milhão, no intervalo de um ano.

O documento obtido pelo jornal “O Estado de São Paulo” mostra que as transações foram informadas ao Coaf porque são “incompatíveis com o patrimônio, a atividade econômica ou ocupação profissional e a capacidade financeira” de Fabrício José Carlos de Queiroz, que enquanto assessor do gabinete de Flávio Bolsonaro até outubro deste ano recebia um salário de R$ 8.517. Uma das transações listadas é o cheque de R$ 24 mil destinado à futura primeira-dama.

O Globo