João Pessoa 25/05/2019

Início » Notícias » Bolsonaro diz que vai mudar a atual “pífia linha educacional” do país

Bolsonaro diz que vai mudar a atual “pífia linha educacional” do país

Pelo Twitter, presidente eleito voltou a defender neste sábado (22/12) a redução do Estado e o desenvolvimento do país sem entraves de ONGs

Brasília (DF), 23/05/18. Marcha dos prefeitos 2018 – Jair Bolsonaro. Foto: Rafaela Felicciano/Metrópoles

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, reafirmou pelo Twitter, neste sábado (22/12), o compromisso feito durante a campanha eleitoral de reduzir o estado. Segundo ele, as convergências ministeriais darão o tom de desenvolvimento do país, que foi pautada pela população. “Reduzir o Estado, desenvolvimento sem entraves de ONGs, acordos comerciais bilaterais já em andamento e mudar a atual pífia linha educacional. Vamos alavancar o Brasil!”, disse.

As convergências ministeriais darão o tom de desenvolvimento de nosso país e que foi pautada pela população. Reduzir o estado, desenvolvimento sem entraves de ONGs, acordos comerciais bilaterais já em andamento e mudar a atual pífia linha educacional. Vamos alavancar o Brasil

Pela mesma rede social, Bolsonaro negou que um general que trabalha no gabinete de seu filho, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), integrará seu governo. Pelo Twitter, usando a hashtag fake news, o presidente eleito disse que “nenhum general trabalha no gabinete do deputado”.

Segundo o Jornal O Globo, a Secretaria de Comunicação (Secom), órgão a ser inserido na Secretaria de Governo, comandada pelo general Carlos Alberto dos Santos Cruz, será ocupada por Floriano Barbosa, atualmente assessor no gabinete do deputado federal Eduardo Bolsonaro. Floriano não é militar.

Bolsonaro deve seguir neste sábado para a Base Naval da Ilha de Marambaia, onde deverá passar o Natal. O capitão da reserva deve retornar à sua casa, na Barra da Tijuca, em 27 de dezembro, e seguir para a Brasília no dia 29, onde deverá ficar até a posse, em 1º de janeiro.

Metrópoles