Brasil e México alavancam crescimento na América Latina em 2014, prevê Cepal - :: Paraiba Urgente :: Portal de Notícias

Brasil e México alavancam crescimento na América Latina em 2014, prevê Cepal

CepalA Comissão dos países da América Latina e Caribe (Cepal) prevê um crescimento econômico de 3,2% na região em 2014. O relatório afirma que Brasil e México são os principais responsáveis por essa projeção. A estimativa positiva da instituição ligada às Nações Unidas se deve principalmente ao aumento das exportações na zona.

A Cepal publicou nessa quarta-feira, 11 de dezembro, suas previsões de crescimento na América Latina. A comissão regional das Nações Unidas baseada em Santiago aponta uma progressão de 3,2% em 2014, contra os 2,6% esperados para 2013.

O aumento da demanda mundial e a alta das exportações são apontados como principais responsáveis pela estatística. “Vemos entre as oportunidades uma alta no comércio internacional e a possibilidade de aproveitar as depreciações cambiais para garantir mudanças duráveis dos preços relativos”, explicou a secretária executiva da Cepal, Alicia Bárcena durante entrevista coletiva concedida à imprensa.

O movimento será liderado pelo Brasil e pelo México, as duas principais potências da região. Segundo a Comissão dos países da América Latina e Caribe, a economia brasileira deve crescer 2,6% em 2014, contra 2,4% em 2013. A expansão será ainda mais forte no México, onde o Produto Interno Bruto (PIB) registrará uma alta de 3,5%, quase o triplo desse ano (1,3%).

Já a Argentina é um dos países do bloco que mais preocupam os especialistas que redigiram o relatório. De acordo com o documento, a economia do país, que vai crescer 4,5% esse ano, deve se desacelerar e progredir apenas 2,6% no ano que vem.

A Cepal também alerta para algumas ameaças, como os riscos ligados à volatilidade da economia global e os financiamentos externos com custos elevados. A comissão chama a atenção para o fato de que o consumo vai continuar em alta, mas apresentará um ritmo menor que o registrado no passado.

RFI