Brasil registra deflação de 0,04%, menor resultado para setembro desde 1998

Brasil registra deflação de 0,04%, menor resultado para setembro desde 1998

Prateleiras de super mercado com produtos e rótulos. Marketing, massas, biscoitos. Brasília, 19/09/2019. Foto: Sérgio Lima/Poder360.

Preços dos alimentos e bebidas caiu 0,43% em setembro, segundo o IBGESérgio Lima/Poder360 – 19.set.2019

O IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) registrou deflação de 0,04% em setembro. É o menor resultado para o mês desde 1998, quando o índice ficou negativo em 0,22%.

O relatório (íntegra) foi divulgado nesta 4ª feira (9.out.2019) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

No acumulado do ano, o IPCA registrou alta de 2,49% e, nos últimos 12 meses, ficou em 2,89%. Em agosto, a inflação foi de 0,11%. Eis os índices dos últimos 12 meses.

A deflação foi puxada principalmente pela redução de 0,43% nos preços dos alimentos e bebidas. A alimentação no domicílio caiu 0,7%, com destaque para o tomate (-16,17%), a batata-inglesa (-8,42%), a cebola (-9,89%) e as frutas (-1,79%). Já o aumento de preços na alimentação fora de casa desacelerou de 0,53% em agosto para 0,04% em setembro.

Outros artigos que tiveram uma queda no preço foram os eletrodomésticos e equipamentos (-2,26%) e televisão, som e informática (-0,9%). Os gastos com a saúde e cuidados pessoais, no entanto, cresceram 0,58%.

Gastos com habitação desaceleraram de 1,19% em agosto para 0,02% em setembro e, os com transportes, ficaram estáveis. Nesse grupo, os combustíveis subiram 0,12%, puxados pelas altas do etanol (0,46%) e do óleo diesel (2,56%). Já a gasolina (-0,04%) mostrou ligeira queda, menos intensa que a do mês anterior (-0,45%).

Dos 16 locais pesquisados pelo IPCA, os que mais tiveram deflação foram São Luís (-0,22%), Belo Horizonte (0,18%), Brasília (-0,17%) e Rio de Janeiro (-0,13%).

Autores