Bruno Roberto: “No nosso palanque a mentira não prospera”

Bruno Roberto: “No nosso palanque a mentira não prospera”

O candidato a vice-governador, Bruno Roberto (PRB) na chapa majoritária do MDB encabeçada por Zé Maranhão, disse em seu discurso durante a convenção partidária, que não fará falsas promessas ao eleitor paraibano e muitos menos projetos descabidos porque são coisas que só fazem judiar do povo. “No nosso palanque a mentira não prospera”, disse.

Segundo ele, é preciso que o Estado interfira para dar a dignidade ao povo, especialmente, na questão da Saúde. E para este setor, o vice fez um requerimento especial a José Maranhão, pois acredita que seja necessário ampliar ações no que diz respeito à saúde da mulher.

Foto: Paraibaonline

Foto: Paraibaonline

“Não faremos a falsa promessa de que em cada município da Paraíba será construída uma maternidade”, enfatizou Bruno Roberto lembrando que isso teria sido dito pelo governador do Estado, Ricardo Coutinho (PSB), na campanha eleitoral de 2014.

Disse ainda que é preciso desconstruir o discurso do governo amplamente massificado de profissionalismo e capacidade administrativa.

“Os impostos não podem ser utilizados para asfixiar o paraibano em nome de um desenvolvimento econômico que é uma absoluta vergonha. Nós temos os maiores índices de concentração de renda do Brasil. A renda per capta do povo paraibano é uma das mais baixas do nordeste e 30% dos jovens se encontram desocupados, sem nenhum amparo em relação a medida de qualificação profissional e empregabilidade” disse.

Foto: Paraibaonline

Foto: Paraibaonline

Bruno Roberto acredita que isso tudo pode melhorar, basta que haja uma intervenção com eficiência e capacidade administrativa do governante e isso a gestão do MDB fará como já ficou comprovada nas administrações anteriores de José Maranhão.

“É preciso ainda tratar da questão dos codificados que consomem mais R$ 200 milhões por ano do cofre público, recursos estes que poderiam ser investidos na educação e segurança pública, cuja falta de segurança não permite ao povo paraibano andar com tranqüilidade nas ruas.

“São essas e outras questões que temos que discutir com o povo ao longo da nossa campanha eleitoral”, pontuou.

Paraíba Online