Câmara suspende atividades, não suas despesas

Câmara suspende atividades, não suas despesas

Sessão plenária na Câmara dos Deputados
Sessão plenária na Câmara dos Deputados

A suspensão das atividades da Câmara dos Deputados, decidida pelo presidente interino da Casa, Waldir Maranhão (PP-MA), não foi seguida da suspensão das despesas rotineiras dos parlamentares e seus estafes. Os dados são apresentados na coluna de hoje do jornalista Cláudio Humberto, do Metro Jornal.

Como aponta o colunista, ganhando R$ 33,7 mil por mês, mais R$ 92 mil de verba de gabinete e R$ 45,6 mil de “cota para o exercício parlamentar”, cada deputado custa R$ 171,4 mil por mês (R$ 5,7 mil por dia) à Câmara dos Deputados, apareça ou não para trabalhar.

Também seguem ativos os gastos dos deputados com celulares, passagens aéreas, restaurante, selos e combustíveis. O movimento na Casa deve voltar ao normal a partir de 5 de julho.

Deboche

O deputado Miro Teixeira (Rede-RJ) está indignado com a suspensão de atividades à revelia dos parlamentares, que serão cobrados. “É um deboche”, ataca. “Ele (Waldir Maranhão) não tem respeito por ninguém”, diz Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ) sobre o presidente interino da Câmara.

Band