Candidata do Pros ao Senado diz que é preciso colocar mulheres na política e fala em desafio de se tornar conhecida em toda PB

leila fonseca senadoraA candidata ao Senado, Leila Fonseca (PROS) destacou que se candidatou pois preciso ‘colocar as mulheres na política’ e aponta que ‘falta de visibilidade’ de nanicos é desafio para tornar o nome conhecido no Estado.

Em entrevista ao programa Rádio Verdade da Arapuan FM nesta segunda (21), Leila afirmou que colocou seu nome na disputa para introduzir as mulheres na política e comentou: “Quem aceita o mal sem protestar, coopera com ele, e não quero aceitar”, afirma.

Leila, que é professora, afirmou que estava em sua zona de conforto, mas que acredita que a vida é feita de desafios por isso aceitou este. “Acho que tudo na vida tem um tempo e acho que é tempo de renovar, de mudanças, precisamos também colocar as mulheres na política. Por que não? Na política infelizmente existe muita descriminação”, conta.

A respeito da falta de visibilidade, a candidata afirmou que esse é um desafio e afirmou que a população vai ter como conhecer seu nome e garantiu que fará campanha ‘pé-no-chão’. “Não tenho a estrutura dos meus concorrentes, mas vou visitar alguns municípios e divulgar meu trabalho”, diz. Além disso, a candidata comentou que já vem sentindo um retorno por meio das redes sociais, onde cidades onde ela ainda não visitou já tem demonstrado apoio.

“Quero ser a senadora da Saúde, da Educação e do Povo. Sou mulher igual as que estão me ouvindo e acredito que nós podemos fazer a diferença”, diz.

Leila criticou também as coligações, apontando que elas só ‘favorecem os grandes partidos’. “Se existe o partido, porque não lançar uma candidatura própria?”, questiona. O Pros conta com menos de dois minutos no guia para o partido inteiro, já que não se coligou com ninguém.

Marília Domingues