A primeira edição de “Charlie Hebdo” após o atentado

A capa da próxima edição de “Charlie Hebdo”

MaoméA primeira edição de “Charlie Hebdo” após o atentado que dizimou os principais nomes de sua redação foi concluída hoje pela equipe sobrevivente e será lançada nas bancas na quarta-feira, num total de 3 milhões de exemplares.

A histórica edição, de número 1178, será também traduzida em 16 idiomas. O conteúdo terá desenhos inéditos de Charb, Cabu, Tignous e Wolinski, mortos no ataque do dia 7, e o restante foi produzido exclusivamente por sobreviventes da equipe, sem a contribuição de colaboradores externos.

O novo diretor da publicação, Gérard Biard, descarta um número de espírito “necrológico”. A ideia foib a de “fazer rir”, adiantou. O humor satírico do jornal foi mantido, e há também caricaturas de Maomé nas oito páginas da edição desta quarta-feira, diferentemente das 16 páginas normalmente publicadas.

 

O Globo