Caravana da Saúde vistoria Hospital de Emergência e Trauma da Capital - :: Paraiba Urgente :: Portal de Notícias

Caravana da Saúde vistoria Hospital de Emergência e Trauma da Capital

bando de deputadosA Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) dentro da sua prerrogativa de órgão fiscalizador e de controle das ações do Poder Executivo promoveu a fiscalização do Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena (HETSHL), em João Pessoa, na manhã desta quinta-feira (31). A iniciativa foi realizada em parceria com o Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB) e foi acompanhada da direção da unidade hospitalar. Foi a primeira inspeção da Caravana da Saúde, que deve percorrer todas as regiões do Estado para traçar um perfil do serviço oferecido ao paraibano. Estavam presentes na ação os deputados Trócolli Junior (PMDB), Vituriano de Abreu (PSC), Gervásio Maia (PMDB), Toinho do Sopão (PEN), Janduhy Carneiro (PTN), Anísio Maia (PT), Frei Anastácio (PT) e Bado Venâncio (PEN).

De acordo com o presidente em exercício da Comissão de Saúde, Saneamento, Assistência Social, Segurança Alimentar e Nutricional, o deputado Vituriano de Abreu (PSC), a visita foi motivada por várias denúncias encaminhadas pela população à Casa de Epitácio Pessoa. Ainda segundo ele, outros hospitais de João Pessoa e dos demais municípios da Paraíba também serão visitados nos próximos meses.

“Nós deputados temos a obrigação de acompanhar o funcionamento dos órgãos que compõem a rede estadual, principalmente, aqueles que oferecem serviços diretos à população. No caso das instituições de saúde, nós recebemos diariamente várias denúncias que indicam a existência de superlotação para doentes com fraturas e, diante disso, achamos por bem realizar essa visita in loco para comprovar a veracidade dessas acusações”, justificou o deputado.

Além de Vituriano, outros sete parlamentares da ALPB e o diretor de Fiscalização do CRM-PB, Eurípedes Mendonça, participaram da visita. Eles chegaram ao hospital por volta das 9h30 e se reuniram com os membros da direção. Em seguida, os deputados visitaram as unidades internas do HETSHL, conversaram com alguns pacientes e constaram algumas irregularidades.

O representante do CRM-PB afirmou que foi possível constatar a carência de leitos e a superlotação em todas as áreas de emergência do Hospital de Trauma. “A área vermelha, por exemplo, que é aquela que abriga os pacientes com risco imediato de morte, foi projetada para cinco leitos, mas tinha 25; uma sala anexa que foi projetada para cinco, tinham nove; a Pediatria que cabe quatro leitos, tinham nove; e as UTIs todas superlotadas. Além disso, tinham pacientes na área vermelha que eram para ficar apenas uma hora, mas estão lá há três dias. Isso é a demonstração inequívoca da superlotação hospitalar”, disse.

O deputado Janduhy Carneiro (PTN) afirmou que foi muito bem recebido pela diretoria e pelos funcionários do hospital, mas também confirmou a superlotação e relatou as queixas de vários pacientes da falta de medicamentos. Segundo ele, os secretários de Saúde e as autoridades competentes do Estado e do Município têm a obrigação de deixarem a política de lado e de resolverem o problema, com urgência e em conjunto.

“É importante deixarem as ‘picuinhas’ políticas de lado e resolverem o problema da superlotação, além da falta de medicamentos, que pude constatar através do depoimento de vários pacientes. O desejo é que as autoridades competentes resolvam esta situação, pois, apesar da boa intenção da diretoria e dos funcionários, o hospital tem problemas sérios. Então diante desses problemas, não há como o serviço ser realizado a contento”, comentou Janduhy.

Já o deputado Trócólli Junior destaca que esta foi a primeira visita e que os parlamentares farão mais de 30 durante os próximos dias. “São muitas reclamações recebidas por mal serviço prestado e uma extensa fila à espera de cirurgias. Esperamos que esta Caravana possa conscientizar as autoridades que é preciso melhorar os serviços de saúde deste Estado”, ponderou.

Diretor comprova superlotação

O diretor-técnico do Hospital de Emergência e Trauma, Edvan Benevides, acompanhou a visita. Ele afirmou que os deputados conheceram todas as áreas do hospital, inclusive o hall central livre de macas com pacientes, como identificado em anos anteriores, além da cozinha reformulada, enfermarias climatizadas, com TVs de LCD. “Eles constaram uma mudança muito grande nos últimos três anos”, justificou.
Edvan Benevides ainda comprovou a existência de superlotação apontada pelo representante do CRM-PB. “A área vermelha é o único setor que se encontra hoje fora do padrão adotado pela Cruz Vermelha Brasileira. Infelizmente, temos uma área para 20 pacientes, mas já chegamos, em um fim de semana a atender 80 vítimas de acidentes de moto. Mas, o governo tem mudado a postura de que o Hospital de Trauma não é uma rede de saúde, é uma rede de urgência e emergência que, infelizmente, tem atendido outras demandas”, disse.

Secretário tentou desqualificar a visita
O secretário de Estado da Saúde, Waldson de Souza, chegou ao Hospital de Emergência e Trauma uma hora depois de iniciada a visita. Demonstrando nervosismo, ele tentou desqualificar a fiscalização realizada pela ALPB em parceria com o CRM-PB e acusou os deputados de constranger pacientes.
“O que foi detectado aqui foi um verdadeiro desrespeito aos pacientes e servidores. Pessoas fotografando os pacientes, inclusive, em área vermelha. Um verdadeiro escândalo. A qualquer momento, qualquer deputado pode vir aqui, mas não da forma como fizeram”, disse o secretário.
O líder da oposição na ALPB, Anísio Maia (PT), lamentou o comportamento do secretário da Saúde. “Bastante nervoso, o secretário chegou atrasado e nos tratou de forma agressiva, deselegante e despudorada. Chegou até a ameaçar nós parlamentares. Mas, ao final, entendemos o porquê de tudo isso, pois, tinham coisas aqui que não podiam ser vistas, a exemplo do depósito de doentes que nós constatamos em uma sala pequena com mais de 15 pacientes em cadeiras. Vamos executar as providências cabíveis para que esse problema seja sanado”, disse o petista.

Texto: Ângelo Medeiros
Fotos: Aguinaldo Mota