Carro invade calçadão e atropela diversas pessoas em Copacabana

Carro invade calçadão e atropela diversas pessoas em Copacabana – WhatsApp (21) 98762-8248

Rio – Um motorista perdeu o controle do carro, invadiu o calçadão da Praia de Copacabana, na Zona Sul do Rio, e atropelou pelo menos 15 pessoas que passavam pela orla, na Avenida Atlântica, na altura da Rua Figueiredo de Magalhães, no sentido Leme, na noite desta quinta-feira. Um bebê de oito meses, identificada apenas como Maria Louise, morreu na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Copacabana. Entre os feridos estão quatro crianças, com idades aproximadas de 3, 7 e 11 anos. O carro, um Hyundai i30 preto, passou pela via, atravessou a ciclovia e parou na areia. De acordo com as primeiras informações, o homem é epilético e teria tido uma crise ao volante. Antônio de Almeida Anaquim, 41 anos, não resistiu à prisão e foi encaminhado à 12ª DP (Copacabana) para prestar depoimento. Ele fará um exame de alcoolemia no Instituto Médico Legal (IML). Às 22h10, a perícia chegou ao local. O pai de Maria Louise, ainda não identificado, também esteve na delegacia. “Ele é um assassino, não deveria estar dirigindo. E agora o que acontece? Minha filha está morta”, lamentou.

O coronel Murilo Angelloti, comandante do 19º BPM (Copacabana), disse que Antônio relatou ter sofrido um ‘apagão’. “Ele alega epilepsia. Encontramos remédios para convulsão dentro do carro. Chegamos a tempo e evitamos que ele fosse linchado”, contou. Segundo um tenente, Antônio foi encontrado em estado de choque dentro do carro. Em 22 de novembro do ano passado, Anaquim recebeu uma multa por estacionar em local para pessoas com deficiência, na Rua Figueiredo de Magalhães.

Segundo João Paulo Siqueira, 19 anos, o acidente foi repentino. “Estávamos caminhando pela área e ouvimos um barulho muito alto. Crianças estavam jogadas no local, o pessoal bastante machucado. Não sabemos se ele estava realmente bêbado, mas parece que perdeu a direção. Não sabemos do estado de um bebê atropelado. Foi muito susto mesmo. O que estão falando é que ele saiu acompanhado da polícia, mas não vimos.”

Veículo ficou completamente destruído após o acidente na praia – Reprodução Internet

O camelô Almir de Oliveira, 50 anos, amigo de uma das vítimas, reiterou que o acidente aconteceu de repente. “O carro invadiu a calçada de repente. Dizem que o motorista não estava bem”, afirmou.

“Duas crianças e um bebê foram atingidos e me parece que quebraram a perna. Com o bebê não aconteceu nada. Me pareceu que quatro pessoas estavam em estado grave. O carro atingiu pessoas na calçada direto”, disse Fiorella Mollinedo, filha de dono de um quiosque local.

A professora Irma Dornellas, 61 anos, reclamou da demora no atendimento às vítimas. “Moro aqui em frente e estou revoltada com o tempo que as ambulâncias demoraram para retirar até o último acidentado. Retiraram o último acidentado duas horas depois. Tem que acontecer uma tragédia dessa para o governo ver isso? Pedi que levassem uma moça gemendo de dor, uma das últimas a ser levadas para o hospital. Se fosse um caso mais grave, as pessoas tinham morrido”, desabafou.

“Só ouvi um barulho e me joguei na areia, saindo da praia. Foi muito rápido. O carro atingiu minha perna, levemente. Minha esposa torceu o joelho. Ele parece que não foi fechado. Eu imagino que parece um carro automático, que o motorista perdeu o controle”, disse o servidor público Sérgio Serpa, 52 anos, que ficou levemente ferido.

Bebê morreu e 14 pessoas ficaram feridas no acidente – Ernesto Carriço / Agência O Dia

Segundo o Corpo de Bombeiros, que atuou no local, a corporação foi acionada às 20h40 para a ocorrência no Posto 4. Ainda não há informações sobre o estado de saúde das vítimas, que foram encaminhadas para os hospitais municipais Miguel Couto, na Gávea, e Souza Aguiar, no Centro. O prefeito Marcelo Crivella seguiu para o Miguel Couto, onde estão 12 feridos. A Polícia Militar e a Guarda Municipal também participaram a operação. Por causa do acidente, o Centro de Operação da Prefeitura (COR) interditou duas faixas da Avenida Atlântica, no sentido Leme, para atendimento às vítimas do atropelamento. O trânsito apresentou retenções no trecho.

Reportagem de Gustavo Ribeiro, Bruna Fantti e da estagiária Luana Benedito, sob supervisão de Thiago Antunes

O Dia