Cartaxo adota tática da ‘blindagem’ quando o assunto é o vice prefeito Nonato Bandeira

Cartaxo adota tática da ‘blindagem’ quando o assunto é o vice prefeito Nonato Bandeira

cartaxo blindadoAlém de ter sido derrubado por uma virose, que fez com que toda a agenda administrativa fosse cancelada no dia de ontem, segunda-feira (11), o prefeito Luciano Cartaxo (PSD) ainda se recupera dos efeitos do documento emitido pelo vice-prefeito, Nonato Bandeira (PPS), que abriu a caixa preta e revelou parte do caos que estaria na prefeitura de João Pessoa.

Bombardeado até pelo ex-aliado, Charliton Machado, que aproveitou a deixa de Nonato Bandeira, e acusou o ex-petista de traidor, Cartaxo preferiu adotar a tática da blindagem e silenciou.

Mais de 24h após o “golpe”, o gestor sequer rebateu a fala dos ex-aliados. A imprensa até tenta, mas os telefones estão fora de área ou desligado. A informação extraoficial é que o prefeito ainda estaria acamado.

A missão de fazer a defesa da gestão sobrou para o novo secretário de Articulação Política, Zenedy Bezerra, que em sua primeira fala chegou a garantir o que já é garantido pela Constituição – o funcionamento do gabinete do vice-prefeito.

Ainda não se sabe quando o prefeito quebrará o silêncio. O que é sabido é que na próxima quinta-feira (14), durante evento do PPS, Cartaxo deverá ser mais uma vez bombardeado, já que mais “novidades” sobre os bastidores da atual gestão na Capital deverão surgir.

A reportagem do PB Agora tentou entrar em contato com o prefeito Luciano Cartaxo durante toda a tarde de ontem, e na manhã de hoje, mas até agora não obteve retorno.

PB Agora