Casal é preso após bebê de adolescente ser usado para quitar dívida de drogas na Paraíba

Casal é preso após bebê de adolescente ser usado para quitar dívida de drogas na Paraíba

A criança foi tirada da mãe, entregue ao Conselho Tutelar de Belém e passará por exame de DNA. (Foto: Pixabay)

Um casal foi preso, nesta terça-feira (27), suspeito de registrar o bebê de uma adolescente, na cidade de Belém. A ação aconteceu após uma ação conjunta entre a Polícia Civil da Paraíba nas cidades de Belém e Guarabira (8ª DSPC) e a Polícia Militar na região do Brejo (4º BPM).

Edna Maria Borges de Lima, 29 anos, e seu companheiro, José Humberto Pedro dos Santos, 18 anos foram presos após registrarem a criança no nome do suspeito. O bebê de 6 meses teria sido entregue pela mãe de 15 anos, para quitar uma dívida de drogas que ela teria junto aos irmãos de Edna.

Segundo o delegado Hugo Lucena, da 8ª Delegacia Seccional de Polícia Civil em Guarabira, o crime ocorreu em julho deste ano.

“O fato aconteceu há um mês e, após investigação da delegacia de Belém, foram expedidos mandados de prisão contra Edna Maria Borges de Lima, 29 anos, e seu companheiro, José Humberto Pedro dos Santos, 18 anos. Além deles estão sendo investigados os irmãos  Leandro e Leonardo Borges da Silva, detentos em Guarabira, e uma jovem conhecida como “Rosinha”, que se encontra foragida”, esclareceu.

O delegado explicou ainda que o caso começou em fevereiro deste ano, quando a adolescente C.L.P.S, 15 anos, suposta usuária de drogas, teve um filho fruto de um relacionamento casual e a criança foi registrada sem o nome do pai.

“ Acontece que no mês de julho, outro registro foi lavrado, dessa vez constando como pai do bebê o nome de José Humberto. Segundo a apuração dos nossos agentes de investigação, a adolescente teria dívidas de droga junto aos irmãos de Edna, os presidiários Leandro e Leonardo, os quais, com a intermediação de “Rosinha”, concordaram na quitação do débito mediante a entrega da criança a Edna”, detalhou.

Após a prisão, o casal negou em interrogatório o crime.

O casal segue para audiência de custódia e devem responder pelos crimes de constrangimento ilegal, falsidade ideológica e associação criminosa.

A criança foi tirada da mãe, entregue ao Conselho Tutelar de Belém e passará por exame de DNA.

ClickPB