Cássio aposta em mais de 380 votos pelo impeachment na Câmara e antecipa nomes da Comissão no Senado

Cássio aposta em mais de 380 votos pelo impeachment na Câmara e antecipa nomes da Comissão no Senado

cassio emendasO líder do PSDB no Senado, Cássio Cunha Lima, confirmou que a bancada tucana definiu o nome de Antonio Anastasia (MG) para assumir um dos cargos na Comissão do Impeachment que pode ser instalada na Casa, caso o processo para afastamento da presidente Dilma Rousseff (PT) passe na Câmara Federal. Ele também será integrante do colegiado e acredita que 386 deputados federais votarão contra Dilma no próximo domingo (17).

A bancada, que dá como consumada a autorização do processo de impeachment , calcula que caberá ao PSDB a relatoria ou a presidência da comissão que analisará o processo no Senado.

“A escolha foi feita com base em seu conhecimento jurídico, serenidade e aclamação ética. Foi consensual na bancada”, afirmou o líder do partido, Cássio Cunha Lima. Nos bastidores, entretanto, o argumento é de que Anastasia possui boas relações com os diversos setores do Senado e uma posição menos combativa. O PSDB quer passar a impressão de isenção durante a condução do processo.

Com três vagas no colegiado, além de Anastasia, o paraibano e o senador Aloysio Nunes (SP) foram indicados. A ideia é balancear o equilíbrio do senador mineiro com a fala mais radical e combativa dos demais.

Nos cálculos de Cunha Lima, existem hoje 386 votos em favor do impeachment de Dilma na Câmara. São necessários 342 para autorizar o processo. No Senado, os tucanos também estão otimistas e contam que terão com folga mais do que os 41 votos necessários para fazer o afastamento temporário da presidente.