Cássio, Bira e Rômulo Gouveia indicam os primeiros cargos para a gestão Luciano Cartaxo

Cássio, Bira e Rômulo Gouveia indicam os primeiros cargos para a gestão Luciano Cartaxo

cartaxo e cassio nomeaçãoUm dos melhores ditados que podemos empregar na política local é o de que: não existem espaços vagos que sejam imediatamente indicados pelos respectivos padrinhos. Conjuntura vivida pela gestão da Capital que tem como timoneiro o prefeito Luciano Cartaxo, que viu diversas figurinhas carimbadas do seu secretariado entregarem os cargos após a saída do gestor do Partido dos Trabalhadores e a conseqüente filiação ao PSD.

Um dos primeiros a observar atentamente tal conjuntura, foi o deputado Rômulo Gouveia, que não por acaso, é chamado de o Gordinho mais maneiro da política paraibana. Depois da articulação que surpreendeu meio mundo analistas locais, tirando o prefeito Luciano Cartaxo do PT e levando-o para o seu próprio partido, o PSD, ele agora já começa a materializar o segundo ato de sua grande manobra eleitoral: a atração de Cartaxo para o projeto do senador Cássio Cunha Lima.

De acordo com informações levantadas pelo PB Agora junto a um vereador muito próximo ao esquema Cartaxista, Cássio vai entrar devagar e sem chamar a atenção. Nesse primeiro momento, nada de Cunha Lima ou figuras de proa do PSDB no primeiro escalão, até para não causar ciúmes, não se comprometer por inteiro e também não parecer traição a aliados que estiveram com ele na campanha do ano passado, leia-se: Manoel Junior (PMDB), Wilson Filho e Raoni Mendes, todos desafetos do prefeito da Capital.

Cássio Cunha Lima, uma águia política, quer também testar o comprometimento de Cartaxo com o projeto 2016-2018, onde ele seria o candidato a senador, segundo esta mesma fonte da Casa de Napoleão Laureano, e o hoje prefeito da Capital, caso reeleito, concorrerá o mandato de governador, seguindo os caminhos do ex-aliado Ricardo Coutinho (PSB). Ainda sobrariam as vagas de vice-governador e a outra de senador para negociar com o PMDB e com o deputado Damião Feliciano, que é tratado já no tucanato como um dos grandes cardeais da política paraibana assim que sua esposa, a vice-governadora Lygia Feliciano,assumir o Governo com o afastamento de Ricardo Coutinho para concorrer ao Senador nas próximas eleições estaduais.

OS NOMES DE CASSIO

Atende por André Coelho, atual assessor de gabinete e homem de confiança em João Pessoa do deputado federal Pedro Cunha Lima, filho de Cássio, o primeiro nome para compor o secretariado de Luciano Cartaxo. Ele foi indicado para a Funjope, ocupada por Mauricio Burity, sobrenome que causa urticária só dos Cunha Lima ouvirem falar. Mas o vereador Cartaxista garante que ele deverá ser deslocado para outro local, porque Mauricio e sua esposa são muito queridos pela primeira-dama, Maísa Cartaxo.

O outro nome de Cássio é o de Wellitânia dos Anjos, ex-companheira de Luciano Agra, com quem Cássio se aproximou muito nas últimas eleições. Wellitânia, que tem especialização em Meio Ambiente, jå foi secretária adjunta da pasta e agora voltaria por cima, ocupando a titularidade no lugar de Daniela Bandeira, indicada por Damião Feliciano, mas que Cartaxo, segundo ainda a fonte, tem certeza que marchará com a candidatura do PSB no próximo ano.

RÔMULO E BIRA AGEM NOS BASTIDORES

O Gordinho Rômulo, aproveitando o papel de Cupido entre Cássio e Cartaxo, aproveitou essa primeira leva para também indicar o nome de seu fiel escudeiro: Walfrido Silveira, para uma secretaria-adjunta, com grandes chances de ser a da Ação Social, já que é dada como certa no Paço Municipal a ascensão de JoubertFonseca ao cargo que era de Marta Gerusa, cunhada do deputado Anísio Maia, que rompeu com o esquema Cartaxista para ficar com o PT. Justamente pelo movimento contrário que fez o vereador Bira, rompendo com o PT e ficando com Cartaxo, e que mesmo com um mandato apagado, seria premiado até como exemplo de lealdade para que todos saibam como age o prefeito da Capital. A favor de Bira Pereira também conta o fato dele ser um anti-ricardista ferrenho, que não tem medo da cara feia do governador e hoje, ao lado de Adalberto Fulgêncio e Zeneddy Bezerra, ser um dos poucos que tem coragem de peitar o governador e seus aliados em defesa de Luciano Cartaxo.

Em tempos de danças das cadeiras, indicações políticas e reorganização das forças políticas na gestão Cartaxo, um ensinamento pregado por Cícero está em voga: “Quem recebe um favor deve lembrar-se dele. Quem faz um favor deve esquecê-lo”

Henrique Lima

PB Agora