Cássio diz que aliança com o PSB está descartada e se declara elegível

cassio cincoO senador Cássio Cunha Lima (PSDB) disse, na manhã desta sexta-feira (04), que a aliança com o PSB, do governador Ricardo Coutinho, para as eleições estaduais de outubro está descartada. A revelação foi feita durante entrevista ao programa Correio da Manhã, da 98 FM de Campina Grande. Na oportunidade, ele disse que Ricardo tem a prática de desqualificar quem o contraria, “é do estilo eu quero, eu posso e eu mando”, e voltou a taxar o Governo do Estado de perseguidor.

“Pinto do Acordeom por ter escolhido votar em Zé Maranhão nas eleições de 2010 está há três anos sem se apresentar em eventos patrocinados pelo Governo do Estado por que é perseguido politicamente. Isso é inaceitável”, afirmou.

Apesar das declaraçõe de Cássio, o seu partido, o PSDB, realiza no final da manhã de hoje, em Campina Grande, a quarta reunião da sua Comissão Executiva Estadual, que tem como objetivo definir o posicionamento partidário para as eleições de 2014, deliberando sobre a tese de candidatura própria ou se mantém a aliança com o PSB, iniciada em 2010, quando Ricardo foi eleito governador.

“O PSDB exercendo sua democracia interna está realizando os encontros para decidir pela tese de candidatura própria ou se mantém a aliança com o PSB, mas posso dizer que está possibilidade está descartada, por que já nos encontros de Patos, Guarabira e Mamanguape, os filiados do partido decidiram pela candidatura própria”, garantiu o senador.

Como já disse anteriormente, Cássio ratificou que coloca seu nome a disposição do partido para disputar o Governo do Estado. Ele acredita que na reunião de hoje em Campina Grande a tese de candidatura própria será sacramentada.

“Estou a disposição do partido. Hoje em Campina, a decisão formará a maioria dos municípios. Fica, então, estabelecido que o PSDB apresentará uma pré-candidatura e depois uma candidatura, respeitando é claro os prazos eleitorais”, disse.

Cássio, que teve o mandato de governador cassado em 2007 e por este motivo teria problemas com a Lei do Ficha Limpa para registrar sua candidatura, também ratificou a tese de que é elegível. Segundo ele, sua inelegibilidade foi de três anos, portanto, já cumprida.

O senador acrescentou que, mesmo que fosse de oito anos a inelegibilidade, a sua terminaria em outubro deste ano, quatro dias antes da eleição, que acontecerá no dia 05.

“As eleições de 2006 foi no dia 1º de outubro e em 2014 será no dia 05. Então, mesmo se fosse de oito anos a inelegibilidade a pena terminaria quatro dias antes das eleições. Caso contrário, tá com a bexiga lixa, vão querer me punir a vida toda”, declarou.

Com relação à aliança com o PSB, voltou a taxar o Governo do Estado de perseguidor. “Pinto do Acordeom por ter escolhido votar em Zé Maranhão nas eleições de 2010 está há três anos sem se apresentar em eventos patrocinados pelo Governo do Estado por que é perseguido politicamente. Isso é inaceitável”, afirmou.

MaisPB