Cássio volta a citar sua cassação para pedir impeachment de Dilma e rebate críticas de RC

cassio impeachmentO senador Cássio Cunha Lima (PSDB), lembrou sua própria cassação mais uma vez para justificar o pedido de impeachment da presidenta Dilma Rousseff (PT) e rebateu as críticas do governador Ricardo Coutinho (PSB) a respeito de ser um ‘falso moralista’.

Para Cássio, sua cassação foi baseada em argumentos frágeis e que ele não taxou isso de golpe. Comparando as situações, o tucano afirmou que existem indícios muito intensos de prática de crimes eleitorais na campanha de Dilma e apontou que a lei tem que ser aplicada: “Golpe seria não aplicar a lei”.

“Fui cassado e uma das razões foram artigos publicados no jornal A União, o julgamento a essa altura já havia ocorrido e foi encerrado em 40 minutos. O Tribunal Regional Eleitoral (TRE), cassou o mandato de um governador eleito no primeiro e no segundo turno e ninguém falou em golpe, falou em cumprimento da legislação eleitoral. Agora em um país republicano como o nosso, a lei serve para todos, não pode ser aplicada para uns e não para outros”, justifica.

Questionado sobre as declarações do governador da Paraíba que o teria taxado de falso moralista por tentar se passar por paladino da Justiça neste caso, o senador afirmou que não iria ficar de bate-boca com Ricardo, mas alfinetou o governador apontando que “ele vive disso”.

“Ele que cuide dos processos que responde na Justiça Eleitoral que ele também praticou crimes graves na eleição. Confio que pelo menos o julgamento nós teremos que o pior processo é aquele que não é julgado, a pior justiça é a que não presta os serviços jurisdicionais…”, reclama.

Cunha Lima ainda apontou que não foi cassado por corrupção ou mal versação do dinheiro público e minimizou o fato afirmando que tinha um programa social onde foi entendido que interferiu no resultado da eleição e voltou a mirar no governador falando do Empreender que para ele foi um caso semelhante à FAC, além de demissões e contratações e falou até do gasto com publicidade.

O tucano lembrou que as ações contra Ricardo foram juntadas pelo TRE e apontou que não é apenas a sua coligação que está pedindo a cassação do governador, mas o próprio Ministério Público.

Redação