João Pessoa 25/04/2019

Início » Destaque » Cesare Battisti desembarca em Roma; terrorista será levado direto à prisão

Cesare Battisti desembarca em Roma; terrorista será levado direto à prisão

Battisti será levado direto a penitenciária

Cesare Battisti chegou a Roma, capital da Itália, por volta das 8h30 desta segunda-feira (14) – no horário de Brasília. Condenado por homicídios cometidos na década de 1970, ele fugiu do Brasil após ter extradição decretada pelo presidente Michel Temer, mas foi encontrado na Bolívia. Lá, ele foi preso e transferido em avião brasileiro.

O avião decolou do Aeroporto Internacional de Viru Viru, em Santa Cruz de La Sierra. O ministro do Interior da Itália, Matteo Salvini, viajou no mesmo avião que o terrorista e postou fotos de Battisti em suas redes sociais.

O ex-ativista foi preso neste sábado (12) em Santa Cruz de La Sierra, uma das principais cidades da Bolívia.  A barba crescida de Battisti não atrapalhou a identificação e captura dele por parte da um equipe especial da Interpol formada por policiais italianos, com a colaboração de policiais bolivianos.

Battisti foi condenado à prisão perpétua na Itália, em 1993, pelo assassinato de quatro pessoas: um guarda carcerário, um agente de polícia, um militante neofascista e um joalheiro de Milão. Os crimes aconteceram quando ele integrava o grupo Proletários Armados pelo Comunismo, na década de 70, os anos de chumbo na Itália.

No dia 13 de dezembro do ano passado, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux determinou a prisão de Battisti. A extradição do ex-ativista foi autorizada por Temer em seguida. Desde então, o italiano estava foragido.

Battisti passou 30 anos como fugitivo entre o México e a França e, em 2004, chegou ao Brasil, onde foi preso três anos depois. Em 2009, o STF autorizou a extradição em uma decisão que deixava a palavra final ao então presidente Luiz Inácio Lula da Silva. No último dia de seu segundo mandato, em 2010, Lula negou a extradição. Em setembro de 2017, o governo italiano pediu ao ex-presidente Michel Temer a revisão da decisão sobre Battisti.

JP