Chape surpreende no Independência, e promove terceira derrota seguida do Cruzeiro no Brasileiro

Chape surpreende no Independência, e promove terceira derrota seguida do Cruzeiro no Brasileiro

O Cruzeiro entrou em campo contra a Chapecoense, neste domingo, na Arena Independência, buscando se recuperar de uma sequência de derrotas no Campeonato Brasileiro. No entanto, com a bola rolando, os catarinenses foram letais, venceram, por 2 a 1. Com o resultado, o time celeste amarga sua terceira derrota consecutiva no Brasileirão, e amarga a décima sexta posição da competição. A Chape, por sua vez, que só havia vencido na estreia, conquista seu segundo triunfo e respira aliviado no certame. Traves mantêm igualdade Jogando na Arena Independência, o Cruzeiro começou pressionando a Chapecoense.

Nos primeiros minutos, a equipe celeste tomou conta do meio de campo e ditou o ritmo do confronto.  Porém, mesmo com o domínio cruzeirense, a primeira oportunidade clara de gol foi da Chape. E que chance! Aos 11, Rildo tabelou com Everaldo e recebeu livre na área. O atacante tentou deslocar o Fábio, que saiu abafando e conseguiu desviar a finalização, que ainda bateu no poste antes de sair. O tempo foi passando e as dificuldades do time mineiro na criação foi aumentando.

Os comandados de Mano Menezes tinham a bola, mas não conseguiam transformar o domínio em grandes coisas. Ineficiência celeste que esbarrou num sólido sistema defensivo adversário. Com problemas no coletivo, o jeito foi arriscar na individualidade. Aos 39, Thiago Neves passou bonito pela marcação e, de perna esquerda, bateu firme de fora da área. A bola passou assustando o goleiro Tiepo.

O camisa 10 era mesmo o mais perigoso. Pouco depois, o meia cobrou falta com força, de longe, e acertou a trave.  Eficiência alviverde Assim como na primeira etapa, a Chapecoense começou assustando. Antes dos dois primeiros minutos completados, Everaldo recebeu passe pelo meio e arriscou de fora, obrigando Fábio a fazer boa defesa.

A resposta da Raposa foi imediata. Fred entrou na área e bateu colocado. Tiepo só olhou e a bola explodiu no poste. Na sobra, Robinho chegou batendo firme, e Gum, em cima da linha, salvou a pele dos catarinenses. Após essa chance incrível do Cruzeiro, o time de Chapecó foi ao ataque e abriu o placar. Elicarlos arriscou de fora e Fábio não conseguiu encaixar.

No rebote, Rildo, esperto, tirou do arqueiro celeste e colocou os visitantes em vantagem. Entretanto, a alegria alviverde durou pouco. Atrás do marcador, os mineiros aumentaram o ritmo e chegaram com Pedro Rocha, que parou em grande defesa de Tiepo. Na sequência, Robinho encontrou Thiago Neves na entrada da área. O meia ajeitou para perna esquerda e acertou um lindo chute, no ângulo, deixando tudo igual no Independência.

Com o empate, o time da casa foi para cima e parecia amadurecer o gol da virada. No entanto, o futebol prega peças. Assim como no seu primeiro gol, a Chape foi às redes num momento de pressão do adversário. Aos 39, Everaldo passou para Aylon, que tentou chapéu. O lance plástico acabou na cabeça de Diego Torres, que garantiu a vitória catarinense em Belo Horizonte.

O Gol