China e Rússia anunciam manobras militares conjuntas inéditas

china e russiaSoldados e exército chinês durante apresentação em PequimREUTERS/Kim Kyung-Hoon

As autoridades da China e da Rússia vão iniciar manobras militares conjuntas este mês. A iniciativa inédita é vista como uma resposta ao projeto norte-americano de criar um escudo antimíssil na Coreia do Sul.

Heike Schmidt, correspondente da RFI em Pequim

Segundo os ministérios da Defesa dos dois países, o objetivo das manobras é se preparar para possíveis ataques de mísseis. No entanto, as autoridades de Moscou e Pequim afirmam que os exercícios, os primeiros do gêneros, não visam nenhum alvo específico.

Para os analistas, a medida é uma mensagem clara aos Estados Unidos, numa tentativa de dissuadir Washington de instalar um escudo antimíssil na península coreana. Batizado de THAAD, o dispositivo norte-americano é capaz de destruir, durante o voo, mísseis lançados pela Coreia do Norte.

No entanto, o projeto contraria Pequim e Moscou, já que o sistema também poderia, teoricamente, visar os territórios chinês e russo. “Isso afetará diretamente a segurança estratégica da China e da Rússia”, declarou o chefe da diplomacia chinesa, Wang Yi.

Enquanto isso, tanto russos quanto chineses e norte-americanos continuam observando a atitude do líder norte-coreano, Kim Jong-um, que insiste em desenvolver seu programa nuclear. Pequim, único aliado de Pyongyang, tem se mostrado cada vez mais impotente diante dos projetos bélicos do presidente da Coreia do Norte.

Noticiário Internacional