Arlindo Chinaglia (PT-SP) afirmou em Recife, que tem um acordo para um apoio mútuo

Chinaglia anuncia acordo com Delgado na eleição para a presidência da Câmara

chinalhiaO candidato a presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT) (à esquerda), em Recife, ao lado do deputado Silvio Costa (PSC) –

RECIFE (PE) – Candidato à presidência da Câmara, o deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP) afirmou nesta terça-feira, em Recife, que tem um acordo para um apoio mútuo com o deputado Júlio Delgado (PSB-MG), adversário na disputa, para que um auxilie o outro em um provável segundo turno da disputa interna. O outro concorrente é o líder do PMDB, deputado Eduardo Cunha (RJ).

Questionado sobre as costuras políticas que levaram ao acordo, Chinaglia desconversou:

– Eu vou apoiá-lo se não passar para o segundo turno. Mas você vai ter que ligar para ele (Júlio Delgado).

O petista ressaltou, porém, que existe uma afinidade política muito maior entre a candidatura dele e de Delgado do que com a de Cunha, desafeto da presidente Dilma Rousseff (PT).

No entanto, o deputado Júlio Delgado negou que tenha feito acordo com Chinaglia para um eventual segundo turno na disputa pela Presidência da Câmara. Disse que “o único acordo” que fez é com os partidos que já oficializaram seu nome: PSB, PPS, PSDB e PV.

– O único acordo que tenho é com os partidos que lançaram o meu nome. Estou confiante de que estarei no segundo turno e todos os apoios ao nosso projeto de construir um Parlamento que seja respeitado pelo Brasil serão bem-vindos – disse o deputado, por meio de mensagem de texto.

Depois do encontro com deputados pernambucanos, Chinaglia teve um encontro com o governador Paulo Câmara, presidente interino do PSB. O encontro com Câmara ocorre um dia depois de uma reunião entre o governador pernambucano e Júlio Delgado, em Brasília.

– A câmara dos deputados precisa de uma pauta nacional – defendeu Chinaglia, que prometeu adotar uma postura de independência em relação ao Palácio do Planalto, num gesto para atrair o voto de parlamentares descontentes com o governo federal.

Chinaglia veio ao Recife acompanhado de uma comitiva formada pelos deputados Sibá Machado (PT-AC), Fábio Ramalho (PV-MG) e Givaldo Carimbão (PROS-AL). Na capital pernambucana, encontrou com Gonzaga Patriota (PSB), Silvio Costa (PSC), Zeca Cavalcanti (PTB), Adalberto Cavalcanti (PTB), Jorge Côrte Real (PTB), Kaio Maniçoba (PHS), Luciana Santos (PCdoB) e João Paulo (PT). O último não foi reeleito e não poderá votar.

Apesar de participar do encontro, Gonzaga Patriota disse acreditar que Júlio Delgado vence a eleição no segundo turno. Já Kaio Maniçoba declarou que ainda não definiu o voto e que vai se reunir com a Direção Nacional do PHS antes de decidir que posição tomar.

Arlindo Chinaglia é o último dos candidatos ao comando da Câmara a visitar Pernambuco. O primeiro foi Delgado, em dezembro. Eduardo Cunha esteve no Recife no início do ano.

Marta Suplicy

Durante sua passagem pelo Recife, nesta quinta-feira, o deputado federal Arlindo Chinaglia (PT-SP), candidato à presidência da Câmara Federal, minimizou as críticas da senadora Marta Suplicy (PT-SP) ao partido, dizendo que a análise que ela fez foi “solitária” dentro do partido.

– Ela está olhando a paisagem fora do PT e deve estar de olho na candidatura para prefeitura de São Paulo – alfinetou o deputado.

Nos bastidores, se especula que a ministra pode deixar o PT para concorrer à prefeitura por outro partido, já que o candidato petista deve ser o atual gestor Fernando Haddad.

Em entrevista ao jornal “O Estado de S. Paulo”, Marta disse que ou o PT muda, ou acaba. Ela também criticou a presidente Dilma Rousseff, revelou que o ex-presidente Lula esperava ter sido candidato em 2014, chamou o presidente do PT, Rui Falcão, de traidor e classificou o ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante como “inimigo de Lula”.

O Globo