alianca

Cida Ramos revela por que aliança de Ricardo Coutinho com políticos tradicionais não prosperou na PB

cida ramos revelaA pré-candidata do PSB à prefeitura de João Pessoa, Cida Ramos, quebrou o silêncio e revelou, em entrevista nesta quinta-feira (28), os reais motivos que fizeram com que as alianças firmadas no passado com figuras tradicionais da política com o governador Ricardo Coutinho (PSB) não prosperaram – o motivo foi a velha política.

Segundo Cida, a maior parte dos grandes partidos que aderiu a Ricardo Coutinho o fez com a estratégia de tentar fazer com que ele adentrasse na velha política, adotasse velhas práticas, mas como o governador resistiu e ainda resiste, esses partidos decidiram pular o barco e partir para a estratégia de unir os derrotados em um só bloco.

“Esse acordão está claro e mostra o ódio com a união de todos que possuem ressentimentos grandes. De todos que quiseram tutelar um projeto no estado e não conseguiram, e todos aqueles que quiseram fazer com que Ricardo Coutinho adentrasse na velha política e que saíram da aliança existente porque não conseguiram realizar isso”, disse.

Conforme Cida, como o projeto dos adversários não prosperou a política se tornou um campo propício para atingir pessoas e não objetivos coletivos.

“O ódio que eu falo é o ódio a pessoas. Faço política desde muito cedo e faço política por convicção, e não baseado em pessoas, em derrotar esse ou aquele. A minha candidatura se coloca para devolver João Pessoa de volta à população. Ela se coloca em uma frente de partidos que têm um projeto claro, que exige democracia, republicanismos. Esse acordão reascende o que pior existe na política da Paraíba, pois essas pessoas fazem a política a partir de alvos concretos. Nossa coligação é progressista, já a deles se forma para derrotar determinadas pessoas”, disse.

Essa semana o governador Ricardo Coutinho (PSB) lembrou que quando decidiu se lançar na disputa, em 2004, tinha um cenário menos propício, com menos aliados e, mesmo assim, conseguiu vencer o pleito da Capital e por isso não temia a formação do chapão integrado por partidos como PSD, PSDB e PMDB em João Pessoa.

OUTRO LADO

Para o presidente municipal do PSD em João Pessoa, Lucélio Cartaxo, a união de partidos antes adversários nas eleições deste ano, em João Pessoa, não pode ser criticada, já que o PSB se aliou com partidos A a Z da política paraibana.

Ele disse ainda que considera uma hipocrisia tentar desqualificar as alianças conquistadas pelo prefeito Luciano Cartaxo com a tese de que estão unidos com o objetivo de derrotar Ricardo Coutinho.

“O PSB é um partido que já fez aliança de A a Z na Paraíba. O atual governador teve como vice prefeito Manoel Júnior, do PMDB, em 2004. Depois teve Cássio (PSDB) e Efraim Morais (DEM) em sua chapa na disputa pelo Governo do Estado em 2010, então vamos deixar de hipocrisia, é conversa para boi dormir. Já foi feito aliança de tudo quanto é jeito no Estado da Paraíba, e elas estão sendo feitas hoje em João Pessoa porque a gestão está bem avaliada e a prefeitura está no caminho certo, fazendo obra no momento de crise, cumprindo com a obrigação de pagar em dia. Essa aliança não é contra A, B ou C. Essa aliança é a favor do povo de João Pessoa”, asseverou.

Apesar da resposta de Lucélio, a primeira pessoa que relacionou a união dos partidos ao objetivo de derrotar Ricardo Coutinho foi o presidente estadual do PSC na Paraíba, Marcondes Gadelha, que também integra o popular “chapão” em João Pessoa.

Marcondes é, inclusive, cotado para vice de Luciano Cartaxo (PSD).

PB Agora